O Comité de Recurso da UEFA decidiu suspender os processos disciplinares contra FC Barcelona, Juventus e Real Madrid, devido à criação da Superliga, anunciou esta quarta-feira o organismo que tutela o futebol europeu.

“Na sequência da abertura de um processo disciplinar com o FC Barcelona, a Juventus e o Real Madrid, por uma possível violação do quadro jurídico da UEFA em relação ao projeto da chamada ‘Superliga’, o Comité de Recurso da UEFA decidiu suspender o procedimento até novo aviso”, lê-se no comunicado do organismo.

Em 25 de maio, a UEFA tinha avançado com processos disciplinares contra Real Madrid, FC Barcelona e Juventus, após uma investigação conduzida por inspetores de Ética e Disciplina da UEFA, que acabou por concluir pela abertura do processo, por “potencial violação do quadro jurídico” do futebol europeu.

Em 18 de abril, 12 clubes anunciaram a criação de uma competição anual com 20 equipas, na véspera de a UEFA revelar o formato competitivo da Liga dos Campeões, a partir de 2024/25.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Esta decisão abalou o futebol europeu e as manifestações unânimes de repúdio — de adeptos, futebolistas, treinadores, dirigentes e responsáveis políticos nacionais — fizeram com que, volvidas 48 horas, já só Real Madrid, que preside à Superliga, FC Barcelona e Juventus se mantivessem no projeto.

Os outros nove clubes, nomeadamente os ingleses do Manchester City, Liverpool, Chelsea, Manchester United, Tottenham e Arsenal, os italianos do AC Milan e Inter de Milão e os espanhóis do Atlético de Madrid desistiram do projeto em poucas horas.

Uma medida que ainda assim não evitou que fossem “repreendidos” pela UEFA, com os clubes a aceitarem uma série de “medidas de reintegração”, incluindo renunciar a 5% do rendimento proveniente de uma época nas competições europeias.