O granizo e a chuva intensa provocaram este domingo estragos em vinhas de Vila Real, pela segunda vez em duas semanas, bem como arrastamento de terras para caminhos e inundações em casas, segundo testemunhou um autarca e uma viticultora.

Paulo Correia, presidente da Junta de Freguesia de Guiães, no concelho de Vila Real, disse à agência Lusa que a chuva intensa e o granizo que caíram ao final da tarde de este domingo provocaram, “outra vez”, estragos em vinhas, mas também causaram derrocadas para vias e ainda inundações em casas. “Desta vez ainda foi pior”, afirmou o autarca à Lusa.

A primeira situação relacionada com o mau tempo ocorreu a 31 de maio, provocando estragos nas vinhas, principalmente das freguesias de Abaças e Guiães, ainda em pomares e também nos automóveis para venda e em exposição ao ar livre nos stands localizados na zona industrial.

Na sexta-feira, o mau tempo provocou várias inundações, principalmente na cidade de Vila Real, em artérias e também no mercado municipal.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Já este domingo, o granizo atingiu novamente “a corda” entre Abaças, Guiães, Bujões e também Galafura (Peso da Régua), zonas inseridas na Região Demarcada do Douro e onde a viticultura é a principal atividade económica.

Regina Ferro, viticultora em Guiães, disse à Lusa que o granizo “cobriu de branco” as vinhas deste território. “Foi muita chuva e muito granizo, as pedras eram mais pequenas mas até parecia que caía uma nevada”, descreveu.

A viticultora referiu que “algumas vinhas que tinham escapado da outra vez, foram destruídas agora”.

Paulo Correia referiu que o granizo voltou este domingo a “atingir muita vinha”, que era “muita água” e que as “valetas não tiveram capacidade para escoar”.

O autarca salientou que as vias atingidas pelo arrastamento de terras e pedras foram sinalizadas e que, na segunda-feira, se irá proceder à sua limpeza.

Segundo informações do Comando Distrital de Operações de Socorro de Vila Real (CDOS), desde as 0h de este domingo foram contabilizadas 12 inundações provocadas pelo meu tempo, a maioria no concelho de Vila Real.