Duarte Gouveia foi militante ativo do PS/Madeira durante 20 anos, mas mudou de partido, vestiu a camisola da Iniciativa Liberal e encabeça a sua candidatura estreante à Câmara do Funchal nas próximas eleições autárquicas.

Duarte Paulo Brazão Gouveia é o coordenador da Iniciativa Liberal (IL) na Madeira, sendo membro do partido desde 24 de novembro de 2017, véspera da convenção fundadora desta força política.

Nascido em 2 de novembro de 1974, tem uma vasta experiência política.

O candidato começou no PS/Madeira, estrutura partidária na qual foi secretário-geral (2010-2012) e vice-presidente (2001), e foi deputado na Assembleia Legislativa da região autónoma (2005-2007).

Também desempenhou cargos autárquicos: foi membro da Assembleia Municipal do Funchal e da Assembleia de Freguesia de Santa Maria Maior, bem como vereador em substituição, por alguns meses, no município do Funchal.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Desfiliou-se do PS por sua “livre iniciativa, em maio de 2015”.

Também está já habituado às corridas eleitorais pela Iniciativa Liberal: foi candidato nas legislativas regionais de 2019 (segundo da lista) e nas legislativas nacionais de 2019 pelo círculo da Madeira (primeiro da lista).

Com uma licenciatura na área da Engenharia Informática no Instituto Superior Técnico, da Universidade de Lisboa, é docente na Universidade da Madeira (UMa) desde 2019.

Segundo informação do partido, tem uma pós-graduação em Gestão pelo ISCTE e um mestrado em Engenharia Informática pela UMa, e criou uma empresa de desenvolvimento de ‘software’ em 1997, após concluir a licenciatura. Fez mais de 500 cursos ‘online’ de nível universitário sobre diferentes áreas de conhecimento.

“Alcançar o melhor resultado de sempre” nesta estreia do partido nas autárquicas é o principal objetivo da sua candidatura, diz.

Duarte Gouveia salienta que como “o IL concorre pela primeira vez vai aceitar com humildade democrática o resultado que os funchalenses queiram dar”.

A sua candidatura foi oficialmente anunciada em comunicado, referindo que o partido pretende “disponibilizar uma opção moderada, moderna e liberal neste município do Funchal, onde se perspetiva um confronto de duas frentes, apoiadas por partidos dos extremos do espetro esquerda-direita”.

O Núcleo Territorial da Madeira do IL refere que a apresentação da sua proposta eleitoral surge “num contexto em que crescem as ameaças iliberais, a nível local, nacional e internacional”.

No seu entender, “a pandemia covid-19 e a crise económica têm levado a sérias ameaças às conquistas dos direitos individuais, das conquistas das liberdades cívicas e políticas que pareciam irrevogáveis, e do incremento das perspetivas autocráticas e autoritárias que pareciam pertencer à História”, tanto a nível regional como nacional.

Por isso, “a IL propõe-se aplicar uma perspetiva liberal que alia autonomia municipal com responsabilidade”, nestas eleições autárquicas, indica a informação divulgada pelo partido.

Duarte Gouveia foi fundador dos clubes de comunicação Toastmasters e Agora Speakers e presidente da Associação de Voo Livre da Madeira, entre 2012 e 2020.

O executivo municipal do Funchal, composto por 11 elementos, é liderado pela coligação Mudança (PS, BE, PDR e Nós, Cidadãos!) que tem seis vereadores. O PSD tem quatro elementos e o CDS um.

Nas autárquicas de 2017, a coligação obteve 42,05% da votação do eleitorado funchalense, representando 23.377 votos.

O PSD reuniu 32,05% dos votos, o CDS 8,59%, o MPT/PPV/CDC 4.03%, o PCP/PEV 3,62%, o PPM/PURP 2,37%, o PTP 2,23% e o PCTP/MRPP 0,89%.