A Apple foi obrigada a pagar uma indemnização milionária a uma jovem norte-americana, depois de dois funcionários da empresa terem divulgado na internet fotografias e vídeos íntimos da mulher, guardados no telemóvel que foi enviado para reparação.

O caso remonta a 2016, quando esta mulher de 21 anos, na altura estudante, deixou o seu telemóvel a arranjar num centro de reparação da Pegatron, uma subsidiária da Apple. Dois funcionários tiveram, então, acesso a dez fotografias com vários conteúdos de nudez e um vídeo de cariz sexual guardados no iPhone, e acabaram por publicá-los na conta de Facebook da jovem.

As fotografias só foram removidas depois de os amigos da jovem a terem alertado para o sucedido.

Não se conhece, ao certo, o valor da indemnização, mas o “The Telegraph” diz que se trata de um valor “multimilionário”. Segundo o jornal, os advogados da vítima ameaçaram avançar com um processo por invasão de privacidade e pediram à gigante tecnológica cinco milhões de dólares, o equivalente a 4,1 milhões de euros, por “sofrimento emocional severo”.

O acordo que a empresa celebrou com a vítima incluía uma cláusula de confidencialidade, o que a impedia, entre outras coisas, de discutir ou revelar o valor em que ia ser ressarcida.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Este caso levou a Apple a iniciar uma investigação “exaustiva” para apurar responsabilidades. “Levamos a privacidade e a segurança dos dados dos nossos clientes muito a sério e temos uma série de protocolos em vigor para garantir que os dados sejam protegidos durante todo o processo de reparo”, afirmou um porta-voz da empresa. “Quando soubemos desta violação flagrante das nossas políticas num dos nossos subsidiários, em 2016, tomamos medidas imediatas e desde então continuamos a fortalecer os nossos protocolos”.