A Portugal Film Commission criou um guia de boas práticas ambientais para produção de cinema e audiovisual, com orientações sobre escolhas de equipamento, procedimentos de filmagem e criação de uma nova competência, a de consultor ambiental.

O “Green Shooting Portugal”, que está disponível na página oficial da Portugal Film Commission, tem como objetivo “sensibilizar e informar o setor do cinema e do audiovisual para a adoção de práticas ambientais sustentáveis”, contando que Portugal assumiu “o compromisso de alcançar a neutralidade carbónica até 2050”.

Às produtoras portuguesas, o guia sugere que contratem ou nomeiem um consultor ou gestor ambiental, “responsável pela implementação e gestão das práticas de sustentabilidade”, e que utilizem “uma calculadora da pegada de carbono para fazer uma estimativa das emissões”.

As produtoras devem escolher equipamento energeticamente eficiente, fornecedores de energia verde, preferir o aluguer à compra de material, reciclar e doar o que não for preciso.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Devem “optar pelo transporte ferroviário em detrimento do aéreo”, usar veículos elétricos e de baixas emissões, “informar a equipa sobre os transportes públicos e outros meios ecológicos (como locais de recolha de bicicletas) mais próximos do local de filmagem”.

O guia estende ainda as sugestões à escolha de guarda-roupa e maquilhagem, aos serviços de limpeza e à alimentação fornecida às equipas de filmagem, pedindo, por exemplo, que se opte por ingredientes locais e sazonais, produtos certificados, biológicos ou de comércio justo.

Nos locais de rodagem, apela-se, por exemplo, a que se evitem danos em paisagens e ecossistemas protegidos.

Segundo a Portugal Film Commission, este guia foi elaborado com a participação de associações do setor, das tutelas do Ambiente, da Cultura e do Turismo, e surge numa altura em que no espaço europeu se debate a sustentabilidade ambiental da atividade cinematográfica e audiovisual.

Na semana passada, o Observatório Europeu do Audiovisual, que faz parte do Conselho da Europa, organizou um debate precisamente sobre práticas sustentáveis no setor, e esta semana o assunto volta a ser abordado esta quinta-feira à tarde na conferência de lançamento do Programa Europa Criativa, em Lisboa.

A conferência decorre esta quinta e sexta-feira, enquadrada na presidência portuguesa do Conselho da União Europeia, e destina-se a lançar o programa Europa Criativa para 2021-2027, com um orçamento de 2,5 mil milhões de euros.