A Mollie, uma startup holandesa de processadores de pagamento avaliada em mais 5,4 mil milhões de euros, escolheu Lisboa para abrir o seu primeiro “Centro de Desenvolvimento”. A fintech (startup de tecnologia financeira) quer contratar 100 pessoas para este espaço até 2023, sendo que até ao final de 2021 a empresa “espera contratar até 20” funcionários.

A chegada do unicórnio (empresa avaliada em mais de mil milhões de dólares) Mollie a Portugal surge após a fintech ter levantado 665 milhões de euros na ronda série C. Marco dos Santos, diretor de tecnologia da Mollie, afirma: “A Mollie é uma das maiores fintechs privadas da Europa e temos planos sólidos para acelerar o desenvolvimento de produtos que respondam às crescentes necessidades dos nossos mais de 120 mil clientes”.

Estamos muito entusiasmados por vir para Portugal e acreditamos que Lisboa é uma base fantástica para instalar o nosso novo Centro de Desenvolvimento, tendo milhares de engenheiros de software e gestores de produto na região. A capital portuguesa tem um ecossistema de tecnologia muito forte e de rápido crescimento e uma diversidade de universidades de ciência e engenharia de referência a nível mundial”, diz Marco dos Santos.

Diogo Antunes, gestor sénior de engenharia na Mollie, vai coordenar este novo centro de desenvolvimento. Em comunicado, afirma que a sua liderança neste novo local vai “ajudar a Mollie a concretizar aquela que é a sua visão de se tornar o fornecedor de serviços de pagamento preferido do mundo”.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

A Mollie trabalha com parceiros como a Klarna, o WooCommerce e outras “agências web”. A startup conta ainda com clientes como a Gymshark, Lyskin e Sem Escamas, refere a empresa. As vagas para estes novos escritórios da empresa podem ser consultadas aqui.

A Mollie, que tem sede em Amesterdão, nos Países Baixos, foi fundada por Adriaan Mol em 2004. A fintech oferece “vários métodos de pagamento de maneira uniforme”. “A marca existe para simplificar serviços financeiros complexos”, explica a startup em comunicado. Atualmente, a empresa tem mais de 120 mil clientes na Europa e conta com uma “equipa internacional de 500 profissionais”.