Tap room Lince

Rua Capitão Leitão, 1B, Lisboa. Segunda a sexta 17h às 22h30.

Para ir para oriente da cidade: ir a Marvila é prestar culto, quase sempre, ao já conhecido Beer District, onde estão sediadas grande parte das cervejeiras que animam a cena da cerveja artesanal em Lisboa. A Lince é uma delas e passou há pouco tempo a ter mais que uma simples fábrica para abrir um tap room que além de 11 cervejas à pressão, uma torneira de kombucha da marca Rooted — só aqui se bebe kombucha à pressão — tem também comida mexicana, fruto da colaboração com o chef Justin Brown e a sua Tacos’82. Destes destacam-se o al pastor (7 euros), pollo ar carbon (6,50 euros) com coxa de frango marinada e grelhada, shwarma de aipo-rábano assado no espero (6,50 euros) ou o de vaca braseada com IPA e chipotle (7 euros). Antes dos tacos, vale pedir uma maçaroca de milho grelhada (4,50 euros) com queijo fresco e maionese de chipotle.

O espaço da Lince deixou de ser apenas uma fábrica para passar a ter também tap room

Chic Nic Pestana Palace

Rua Jau, 54, Lisboa. Sábados 13h às 16h. Reservas: 213 615 600

Para se deitar nos relvados: não naqueles onde jogam onze contra onze, mas antes nos do Pestana Palace que acaba de reabrir a Casa do Lago e com ela traz de volta o famoso Chic Nic. O restaurante tem nova carta com assinatura do chef Pedro Inglês Marques com pratos de inspiração asiática como a yakisoba de frango com legumes e outros reinterpretados como a garoupa com especiarias. Aos sábados entre as 13h e as 16h é possível pegar no cesto e estender-se no jardim do hotel (30 euros por pessoa/bebidas não incluídas). O piquenique inclui uma mimosa de boas-vindas, o prato de salmão fumado conhecido do hotel, queijo de azeitão, seleção de charcutaria de porco preto, compota de tomate, iogurte com granola, baguete, mini pães e club sandwich, croissants, brownie de chocolate, saladas de fruta, pastel de nata e sumos de fruta naturais.

O piquenique é servido aos sábados no jardim do hotel ©DR

Pop up  Holiday Romance x Ruby

Rua de São Bento, 106, Lisboa. Até Outubro. Segunda 16h às 19h, Terça a sexta 10h às 19h, sábado e domingo 09h às 15h.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Para visitar temporariamente: é paragem obrigatória para visitar nos próximos meses — desde esta semana que a pop up store Holiday Romance x Ruby se instalou em São Bento com um cantinho de marcas independentes para celebrar o verão com roupa e acessórios novos e sustentáveis, uma iniciativa da marca ​​Holiday Romance com a curadoria de Ruby Elmhirst. Presentes vão estar marcas como a Le Mot, Teddy Hats, Pomme Ceramic, Nuori, Mustique, Mocha Goods, YSSO Jewellery, Vinnia Swimwear, Washein, Tao of Sophia ou a Sombra & co. O café Comoba vai encarregar-se das bebidas até ao fim da pop up.

A portuguesa Le Mot é uma das marcas presentes na pop up que decorre até outubro

Novo menu de verão do maat Café

Av. Brasília,  Lisboa. Quarta a domingo 11h às 19h, quarta a sexta 12h às 15h e sábado e domingo 12h30 às 15h30 (almoços), sábado e domingo 10h30 às 15h30 (brunch). 91 058 37 09.

Para ir ver as artes e encher a barriga no fim: há meses, o maat deixou de ser só um museu para ser um museu com café com refeições ligeiras para acompanhar as visitas artísticas. A novidade está agora no menu de verão servido ao almoço com cinco novos pratos como é o caso do ravioli de ricotta, risotto de cogumelos, bacalhau à brás, entrecôte Txogitxu do País Basco ou hamburguer com carne black angus e bacon crocante. Apesar das novidades, o maat Café continua a servir aos fins de semana o brunch com croissants, ovos de toda a espécie, tosta de salmão, baos, panquecas e, claro, vista para o Tejo.

O bacalhau à Brás é um dos novos pratos do menu de verão do maat Café

Novas villas do Onyria Quinta da Marinha

Rua das Palmeiras, Cascais. Reservas: reservations@quintadamarinha.com. 214 860 100

Para escapar da cidade: as Villas do Onyria Quinta da Marinha Hotel reabriram remodeladas e agora o aldeamento conta com 27 villas mais amplas e modernas. Inseridas em pleno Parque Natural Sintra Cascais, as villas com novas tipologias T1+1 e T2+1 têm espaços mais amplos e uma decoração moderna — são daqueles refúgios a poucos minutos de Cascais e a um tirinho de Lisboa. Com terraço, sala de estar e mesa de jantar, os espaços comuns convidam a ficar e a aproveitar o descanso, sendo que todas as villas têm uma kitchenette totalmente equipada. As remodelações e os jardins amplos que rodeiam as novas casas permitem que os animais de estimação também façam parte destas escapadinhas. As estadias podem ser complementadas com passeios nas zonas verdes a pé ou de bicicleta, passeios a cavalo, ténis, padel ou golfe.

Todas as villas têm um terracinho privado para aproveitar o refúgio em plena serra de Sintra e Cascais

Anjos 70 Art & FleaMarket

Rua do Grilo 119 – Hub Criativo do Beato, Lisboa. Sábado e domingo 10h às 15h30. contact@casa-capitao.com

Para dar nova vida às coisas: o mercado que dantes tinha lugar no Regueirão dos Anjos agora é itinerante e ocupa vários locais da cidade nos meses de verão — este fim de semana, 24 e 25 de julho, as bancas estendem-se na Casa do Capitão. Será a renovada zona da Pastelaria que vai receber 25 bancas com artigos em primeira e segunda mão, desde moda, decoração, arte, artesanato, livros ou produtos ecológicos.

A roupa em segunda mão é o prato forte deste mercado que acontece na cidade há 8 anos ©Anjos.70/Instagram

Latina Grill

Estrada da Malveira da Serra, 261, Cascais. geral@latinagrill.pt. Terça a domingo 12h30 às 15h30 e das 19h30 às 22h30

Para dar apostar nos grelhados: ainda cheira a novo e, neste caso, também a grelhados. O Latina Grill abriu há pouco tempo em Cascais e, apesar de estar perto do mar, aqui o prato forte são as carnes, propostas pelas mãos do chef André Sá Correia que traz consigo influências tradicionais portuguesas que envolve com as asiáticas que marcaram o seu percurso — esteve vários anos em Macau. Agora, volvido a Portugal, dedica-se aos cortes nobres da carne, grelhada sempre em carvão ecológico, onde é comum encontrar uma seleção distinta de raças e países como a Umi do Uruguai, a Wagyu da Austrália, a Kobe do Japão, a Black Angus dos Estados Unidos da América (30 dias de maturação), a Turina nacional (40 dias de maturação), e a Rubia Gallega (50 dias de maturação), todas com marmoreados distintos. Para a mesa vão pratos de entrecôte, tomahawk, rib eye, filet, chuleton, e ainda cortes como vazia ou picanha, não esquecendo a espetada do lombo, sendo que muitos cortes podem ser feitos à medida do cliente que pode escolher a peso a carne e também o corte que pretende. As guarnições focam-se muito nos produtos sazonais, e para os que ainda preferem sabores do mar têm no menu camarão tigre e bacalhau. O restaurante abriu com 60 lugares no interior e uma esplanada com capacidade para 20 pessoas, para poder aproveitar o bom tempo.

O cliente pode escolher o corte e o peso da carne na hora de pedir ©DR

Festival Vaudeville

Vários locais de Barcelos, Braga, Famalicão e Guimarães. Até 24 de julho. Entrada livre.

Para dar a volta ao Minho: o circo saiu à rua e vai andar por lá até este sábado, 24, mais concretamente nas ruas de Barcelos, Braga, Famalicão e Guimarães. A 7.ª edição do Festival Vaudeville, organizado pelo Teatro da Didascália, arrancou no início da semana com a apresentação de 13 espetáculos, incluindo duas estreias absolutas e cinco nacionais. Na sexta, 23, vão ser apresentadas, por exemplo, algumas estreias nacionais como Otus Extracts (21h; Anfiteatro – Parque da Devesa em V.N. Famalicão), Random (21h; Jardim do Paço dos Duques em Guimarães) ou Baïna[na] (21h; Praceta Francisco Sá Carneiro em Barcelos; repete a 24 no Museu de Arqueologia D. Diogo de Sousa em Braga). No sábado, dia 24, pode ser vista uma estreia absoluta de Váld (21h; Anfiteatro – Parque da Devesa em V. N. de Famalicão) e outras estreias nacionais como Wake Up! (11h – Museu de Arqueologia D. Diogo de Sousa em Braga; 18h – Parque da Devesa em V.N. Famalicão) ou Là-Bas (11h; Praça dos Poetas em Barcelos). Todas as atividades do festival decorrem ao ar livre e são de entrada gratuita, mas, na edição deste ano, é necessário reservar os bilhetes antecipadamente, de forma a controlar as entradas e a lotação. A programação pode ser consultada aqui.

O espetáculo “Váld” é um dos que pode ser vistos no festival ©DR

Nova carta do Mito

Rua José Falcão, 183, Porto. 222 081 059. Terça a quinta 12h30 às 15h/ 19h às 22h30, Sexta e sábado 12h30 às 15h, 19h às 00h30.

Para provar as novidades: o Mito fez uma pausa depois de ter posto um ponto final ao projeto que lhe deu força durante os tempos pandémicos — para fazer frente aos efeitos da pandemia e dos confinamentos, o chef Pedro Braga decidiu fazer pausa no projeto original ao lançar o Pause Mito Play Burger, com hambúrgueres e sobremesas que fazem sucesso desde o primeiro dia. Esse pop up chegou ao fim e o Mito está agora de volta com ideias maturadas com novidades, privilegiando o que é orgânico, proveniente de fontes sustentáveis e a tudo o que é local. Vale a pena começar com os croquetes de boi velho com maionese de chouriço (3,50 euros/duas unidades), a bolinha de berlim com creme de presunto pata negra e bacon (3 euros), batata doce com miso e pimento fumado, puré de limão e mostardas (10 euros), ou um prato de cenoura, leitelho e mel, labneh e frutos secos (9 euros). Imperdível é também o tártaro de alcatra com batata frita em manteiga, gema de ovo e tutano (13 euros), robalo da Ria de Aveiro com beurre blanc, caviar de algas e alface do mar (20 euros), costeletão maturado a 40 dias com aros de cebola e tomate coração de boi (70 euros/kg), arroz de tamboril (38 euros/duas pessoas) ou sardinha grelhada com gnocchi, pimentos fumados e pickle de cebola (14 euros). Não dá para sair sem se atirar ao mil folhas de milho, amendoim caramelizado e lima (5,50 euros), ao creme de chocolate negro com caramelo salgado, paçoca de avelã e gelado de nata  (5 euros) ou a rabanada de pistácio (6 euros).

O tártaro da alcatra é um dos pratos do renascido Mito ©DR

“Ai Wei Wei: Entrelaçar”

Rua Dom João de Castro, 210, Porto. Segunda a domingo 10h às 18h. De 23 de julho 2021 a 9 de julho 2022.

Para estar atento à arte: depois da Cordoaria Nacional, Ai Weiwei chegou chega esta sexta-feira, 23, também a Serralves com “Ai Weiwei: Entrelaçar”, uma mostra que se divide entre o museu e o parque, onde vai estar exposta pela primeira vez “Pequi Tree” (“Pequi Vinagreiro”), uma obra com mais de 30 metros (fica até 9 de julho 2022). Pelo jardins será ainda possível encontrar algumas peças da série Raízes, do artista dissidente chinês. As obras estão muito relacionadas com as preocupações ambientais de Weiwei, tema já habitual nas suas criações.

Imagem do trabalho “Mutuophagia” de 2018

Pátio das Cardosas

Praça da Liberdade, 25, Porto. Segunda a domingo 10h30 às 19h (menu Pátio das Cardosas; fora deste horário estarão em vigor as cartas do Astória). Reservas: 220 035 639.

Para arejar as ideias: as portas do Astória para a emblemática Praça das Cardosas estão abertas e materializam agora o novo Pátio das Cardosas Terrace & Lounge, que vem reforçar a oferta do restaurante com novas propostas e um mais de uma centena de lugares no exterior, permitindo que o menu executivo, a carta de jantar e a de brunch se sirvam também ao ar livre. Mas além dos já conhecidos menus do Astória, este espaço ganha um novo menu mais leve com muitos petiscos e música ao vivo de quinta a domingo. Na nova carta constam opções como torresmo de porco com ketchup de coentros (8 euros), gambas à guilho (13 euros), petinga frita com broa (9 euros) e as tábuas de queijos (15 euros), presunto ibérico (16 euros) e de carnes frias e chouriços (14 euros). Existem também várias saladas e uma série de sanduíches como o bagel de beterraba (9 euros) ou um prego do lombo (13 euros). Tudo isto acompanha com um menu de cocktails de autor para refrescar os dias quentes portuenses.

De quinta a domingo há música ao vivo para acompanhar os finais de tarde de sol ©DR

Festival Porta-Jazz

Vários locais. De 23 a 25 de julho. Entrada livre.

Para se pôr à escuta: entre esta sexta e domingo, de 23 a 25 de julho, o festival Porta-Jazz regressa à cidade para a sua 11.ª edição com concertos divididos entre os palcos do Teatro Campo Alegre (TCA) e do Museu Nacional Soares dos Reis. Ao longo de três dias, cujo lema será “Da Janela Saem Pássaros”, serão apresentados 14 concertos que contam com a participação de 60 músicos, que apresentam diferentes propostas estéticas do jazz mais tradicional ao de improvisação. No primeiro dia do festival, pelas 20h30, o TCA recebe o Vessel Trio de Hery Paz, Javier Moreno e Marcos Cavaleiro que vai apresentar o seu registo de estreia. No dia 24, pelas 11h, o Museu Nacional Soares dos Reis será palco da atuação de Filipe Teixeira Trio e o álbum “TAO”, seguindo-se a criação em residência “Vazio e o Octaedro” de Josué Santos e Gianni Narduzi. No domingo, há concerto de Hugo Raro, às 11h, no MNSR com o disco “Connecting the dots”, sendo que às 20h30, João Pedro Brandão apresenta “Trama no Navio”, e André Silva encerra esta 11.ª edição com a apresentação de “The Guit Kune Do”. A entrada para os concertos é gratuita, embora seja necessário levantar os bilhetes na bilheteira do TCA a partir das 14h30 do dia dos espectáculos, cuja programação completa pode ser consultada aqui.

André Silva encerra esta 11.ª edição do Porta-Jazz

Sicario

Rua Roberto Ivens 340, Matosinhos. Terça a sábado 19h30 às 00h.

Para fazer “la fiesta” novamente: o restaurante mexicano Sicario, em Matosinhos, reabriu pela mão do grupo Kanpai — que já detém seis restaurantes no Porto — e traz de volta os cocktails de assinatura e a comida mexicana de conforto de las abuelitas. A carta do chef Carlos Mañé aposta forte nos pratos cozinhados lentamente como a carne en su jugo (18 euros), joelho de porco assado, o chamorro (18 euros) ou o peito de frango com molho fumado de amendoim (17 euros). Há também vários clássicos de street food mexicana como os tacos, as enchiladas ou as quesadillas. Para acompanhar tudo isto, há ainda uma coleção jeitosa de tequilas e mezcal, com diferentes escalas de envelhecimento, para compor uma carta de cocktails à medida do menu. Outra nota importante é: todas as quintas, entre as 19h30 e as 21h, há happy hour de cocktails — pede dois, paga um.

O Sicario reabriu a 20 de julho

“Nunca mais é sábado” é uma rubrica que reúne as melhores sugestões para aproveitar o fim de semana.