Depois de anunciar que, em 2030, abandonaria a produção de veículos equipados com motores de combustão, o que inclui os híbridos plug-in, para dar lugar a uma gama completa de veículos 100% eléctricos – com novas plataformas que, por sua vez, obrigam a fábricas novas ou remodeladas de cima a baixo -, a Volvo avisa que a revolução da marca não ficará por aqui.

Tem tudo a ver com a denominação dos modelos do construtor sueco, que tradicionalmente recorre a um conjunto de letras e números. Mas o futuro vai acabar com isso, uma vez que o CEO Hakan Samuelsson fez saber que as designações alfanuméricas iriam terminar. E já com o próximo modelo da Volvo, o substituto do actual XC90.

Motores de combustão na Volvo acabam em 2030

A partir daqui, todos os Volvo irão exibir nomes seleccionados por computador, com arranjos fonéticos adaptados às suas dimensões e tipo de utilização. Desaparecem assim as carrinhas V, as berlinas S e os SUV que começam sempre por XC, à medida que forem sendo substituídos por modelos 100% eléctricos.

O próximo XC90, o primeiro Volvo com o novo conceito de denominação, chegará ao mercado em 2022, com Samuelsson a garantir que ainda não há nome. Existe, isso sim, uma interessante e criativa discussão em torno das possíveis soluções.