É, até agora, um dos momentos mais emocionantes de Tóquio 2020. Ahmed Hafnaoui, de apenas 18 anos, não conseguiu esconder a emoção quando percebeu que foi o primeiro a tocar na parede na final de 400 metros livres e gritou, agitou a água, colocou as mãos à cara e proporcionou aquelas que serão algumas das melhores fotografias destes Jogos Olímpicos.

O atleta da Tunísia, que chegou à final com o pior tempo das qualificações e por isso competiu na pista 8, surpreendeu toda a concorrência e sagrou-se campeão olímpica contra todas as expectativas. Hafnaoui terminou a prova em três minutos, 43 segundos e 36 centésimos e assumiu a liderança nos últimos 50 metros, deixando para trás o australiano Jack McLoughlin, que conquistou a medalha de prata, e o norte-americano Kieran Smith, que ficou com o bronze.

“Eu não acreditei. Pensei nos meus pais, nos meus treinadores. Estou muito feliz, é um sonho que se torna realidade. É fantástico. Senti-me melhor na água esta manhã do que ontem e é isso. Agora sou o campeão olímpico. Pus a minha cabeça na água e pronto. Não consigo acreditar”, disse o nadador, que igualou Oussama Mellouli como campeão olímpico na natação pela Tunísia, já depois da prova.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Ahmed Hafnaoui é assim o quinto tunisino a ser campeão olímpico. Em 2019, o jovem nadador disse que tinha o objetivo de conquistar uma medalha de ouro nos Jogos Olímpicos de Paris, em 2024. O objetivo, porém, apareceu três anos antes.