Li Fabin aproximou-se do local de competição, na hora dos 61kg do halterofilismo dos Jogos Olímpicos, e fez o movimento para levantar os 166kg que estavam no peso na primeira tentativa. Atirou a trave para cima, esticou os braços e procurar aguentar o equilíbrio — até aqui tudo normal. O que já não foi normal foi que Li Fabin, enquanto ainda tentava equilibrar-se, esticou a perna direita e ficou com todo o corpo (e os 166kg extra, cerca de três vezes o seu peso) assente apenas num pé.

O atleta chinês acabou por sagrar-se campeão olímpico, à frente do indonésio Eko Yuli Irawan e do cazaque Igor Son e depois de levantar 313kg, e os adeptos da modalidade rapidamente se apressaram a apelidar a estranha e arriscada manobra como “movimento do flamingo”, por se assemelhar à forma como o animal descansa. Mas Li, que aos 28 anos alcançou o ouro e logo na estreia em Jogos Olímpicos, deixou o aviso óbvio: não é algo que se possa tentar em casa.

“Tenho muita força e muitos músculos. Eu sei que este movimento agrada ao público mas não sugiro que as pessoas o tentem reproduzir. Podem lesionar-se”, explicou o chinês, que acabou por revelar que estica a perna para procurar o equilíbrio perfeito.