Vinhos, cidras, cervejas e até espirituosas, tudo sem álcool. O projeto — por enquanto só online — The Other Bottle é pioneiro em Portugal ao comercializar um total de 48 bebidas sem uma pinga de álcool, incluindo gins e whiskys, e nasce da vontade da dupla Fran Zolin e Nadja Baldaconi em diversificar a oferta no momento de provar, bebericar ou brindar.

De 39 e 36 anos, respetivamente, Fran e Nadja levavam vidas bem diferentes antes de rumarem a Portugal, país que escolheram para lançar a loja online com poucos dias de existência. A primeira era gestora de projetos e a segunda, luso-brasileira, trabalhava na área do markteting e eventos. Conheceram-se em Londres e o movimento sober curious (que reflete a escolha de beber pouco ou nada de álcool) tornou-se um laço invisível entre elas. “Quando nos conhecemos, a Nadja já se considerava uma mindful drinker [bebia com bastante moderação]. Já eu estava habituada à cultura do work hard, play hard. Quando finalmente decidi parar de beber, a pandemia deu espaço e tempo para analisar o meu relacionamento com o álcool”, conta Fran ao Observador.

Na lista de bebidas estão também gins sem álcool © Divulgação

Determinadas a mudar vida e em busca de mais dias soalheiros, encontraram em Portugal o local certo para criar raízes e fundar o The Other Bottle depois de uma intensa pesquisa de mercado, que durou cerca de 10 meses, e depois de feita a curadoria das bebidas, todas elas de carácter artesanal e de pequenos produtores. Não há, por enquanto, nenhum produto nacional, mas a dupla confessa já ter incentivado alguns produtores de cidra a arriscar nesse nicho de mercado. Afinal, a tendência que “borbulha” noutros cantos do mundo há mais tempo, dizem Fran e Nadja, veio para ficar. Da mesma forma como já antes as pessoas questionaram as indústrias da carne e do tabaco, agora é a vez de o álcool se sentar no banco do réu. Não que a dupla queira fechar os olhos às bebidas alcoólicas, até porque a vontade é apenas alargar o leque de opções. “Não excluímos nenhum público”, garantem.

Um exemplo de espumante sem álcool © Divulgação

Mesmo sem espaço físico — estão à procura de um lugar em Lisboa —, dizem que a procura é muita, sobretudo depois de terem participado no mercado Santos Collective. “Não inventámos a tendência, ela está a acontecer”, atiram, para depois referirem que receberam em banca desde mulheres grávidas ávidas por um gole a pessoas com vontade em diminuir o consumo de álcool de uma forma generalizada. O interesse está a ser tanto que já há conversações com diferentes restaurantes — ainda nenhuma casa com estrela Michelin.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Sobre as bebidas que vendem, entre os 2,65 e os 35 euros, asseguram que, por vezes, o álcool consegue camuflar sabores, pelo que a experiência com alguns estilos de bebida já familiares pode ser, desta feita, bem diferente do costume. Mais irreverente é mesmo a textura, ainda que as bebidas tenham “uma ou outra especiaria” capazes de fazer esse trabalho de substituição.

No catálogo também há vinhos sem álcool

E porque por enquanto importam todos os produtos, sobretudo de países europeus, trabalham com duas Organizações Não Governamentais para ajudar a compensar a pegada ecológica. Uma das parcerias estabelecidas significa que, por cada garrafa vendida, é plantada uma árvore, embora também exista a possibilidade de o cliente, na altura do check out na página online, escolher doar algum dinheiro. Minimizar a pegada ambiental é ainda tarefa que anda lado a lado com a vontade de quebrar o estigma à volta de quem não bebe álcool, missão daquela que é, garantem “a primeira loja de bebidas sem álcool do país”.