Com a retirada do antigo Imperador Akihito, no dia 1 de maio de 2019, o Japão encerrou uma etapa cultural: o chamado ciclo de paz, iniciando outra: a chamada “era da harmonia”, que associada ao reinado do atual imperador Naruhito. Mas desde que se encontra a governar, a harmonia no Japão tem sido posta em causa por várias polémicas: seja sobre a gestão da pandemia de Covid-19, a realização dos Jogos Olímpicos de Tóquio, ou a própria crise da sucessão ao trono.

Milhares de japoneses são contra a realização dos Jogos Olímpicos, com um (outro) estado de emergência a ser decretado até 22 de agosto, para conter o máximo possível os contágios da Covid-19. A vacinação no país avança, mas a conta-gotas, com  77.726.929 doses de vacinas administradas, ou seja, cerca de 30% da população, segundo a Agência Reuters. Esta segunda-feira, a capital do país contou com mais 1.429 novos casos de SARS-CoV-2, o sétimo dia consecutivo com mais de 1.000 infeções. Durante a última semana, o país teve, em média, cerca de 943.198 doses administradas por dia. A este ritmo, serão necessários mais 27 dias para administrar as doses suficientes para que outros 10% da população fiquem imunizados.

Portugal consegue primeira vitória no Andebol frente ao Bahrain. Telma Monteiro eliminada e Yolanda Hopkins está nos quartos do Surf

A harmonia no país também se encontra fragilizada por questões que envolvem família real e a sua sucessão: a princesa Mako, de 29 anos de idade, filha mais velha do Príncipe Akishimo, o único irmão do imperador, tinha ficado noiva em 2017 do jovem Kei Komuro. Mas o casamento, que ficou agendado para 2018, foi adiado devido a uma polémica que envolvia a mãe do jovem: devia dinheiro ao seu ex-companheiro — o suficiente para levantar ondas em torno da sucessão. O empréstimo seria para ajudar a pagar os estudos de Kei Komuro, que está na faculdade de direito na Universidade de Fordham, em Nova Iorque. O príncipe afirmou em novembro do ano passado que aprova o casamento, mas pediu que a polémica seja resolvida.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

O jovem, segundo a Kyodo News, disse acreditar que um acordo por negociações entre a sua mãe e o ex-noivo seria “a melhor escolha”, mas os esforços para acabar com a polémica por esta via, entre maio de 2019 e novembro de 2020, “fracassaram”. O que é certo é que ainda não se sabe quando o casamento irá acontecer.

A acrescentar aos problemas, Masako, a esposa do imperador, tem uma saúde delicada — mais uma preocupação para Naruhito. Durante a cerimónia de entronização, que marca a ascensão do novo imperador ao trono, a imperatriz foi vista a sorrir e parecia estar de boa saúde. No final do ano passado, durante o seu aniversário, Masako expressou o seu desejo de recuperar, para que consiga “apoiar o imperador” e cumprir o seu “papel de imperatriz”, segundo o El Mundo.