Sam Lutfi, o controverso ex-manager de Britney Spears, partilhou mensagens de voz alegadamente da artista onde esta pede o fim da tutela — as mensagens, publicadas no Instagram na noite de terça-feira, remontam a 2009. À Page Six, Lutfi garante que já antes divulgou estes voicemails que foram deixados no seu telefone, mas que agora a republicação atraiu muita atenção na sequência do movimento #FreeBritney.

Ao todo, são quatro publicações que já somam milhares de visualizações. No primeiro áudio, acompanhado por uma fotografia nunca antes vista de Spears a segurar o filho Sean Preston, é possível ouvi-la dizer: “Eu quero sair desta tutela”. Na mesma mensagem, a cantora dá a entender que foi chantageada com os direitos sobre as visitas dos filhos para permanecer na tutela. “Estou confinada, restringida e despojada dos meus direitos civis. E exijo que o estado da Califórnia analise este caso porque considero que é ilegal.” A segunda mensagem é também referente à tutela, sendo possível ouvir a cantora a dizer que, no “processo de eliminar a tutela”, o pai ameaçou-a “várias vezes” tirar-lhe os filhos.

Novo advogado de Britney Spears faz pedido em tribunal para retirar o pai da cantora da tutela

Já no terceiro vídeo, a cantora pede nova representação em tribunal, coisa que apenas conseguiu no início deste mês, quando a juíza Brenda Penny aceitou que Britney fosse representada por Mathew Rosengart que, entretanto, já entrou com uma petição para remover o pai da tutela. Na última mensagem de voz é ainda possível ouvir Britney alegar estar capaz física e mentalmente e que está a ser “retida contra a sua vontade”. “Não consigo exercer os meus direitos constitucionais.” Mais uma vez pede que Jon Eardley (juntamente com John Patterson) a represente em tribunal.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Sobre estas gravações, Lutfi escreve nas legendas que estas foram chamadas recebidas pelo seu telefone, as quais custaram “muito dinheiro em tribunal” e que mancharam o seu nome. “Eu não fazia ideia para onde me virar, ninguém estava a ouvir, ninguém parecia importar-se”, escreve.

“As pessoas que me fizeram isto não deveriam escapar”. Como Britney Spears perdeu o controlo sobre a vida e a carreira

Para os pais de Britney, Lutfi — que representou a artista brevemente entre 2007 e 2008 — explorou-a durante a crise de saúde mental vivida de forma bastante pública e que daria origem à tutela que entrou em vigor em 2008. Foi precisamente no final dos anos 2000 que Jamie P. Spears avançou com uma ordem de restrição para Sam Lutfi, na época, o autoproclamado agente da cantora. Uma segunda ordem de restrição foi submetida em janeiro de 2009, desta vez incluindo também John Eardley e o ex-namorado paparazzi Adnan Ghalib. A próxima audiência relacionada com o polémico caso de Britney Spears acontece a 29 de setembro.