Das 23 páginas que compõem a apresentação em que António Costa se apoiou na conferência de imprensa após o Conselho de Ministros, oito estavam ocupadas por matrizes, gráficos de linhas e diagramas de barras para justificar a decisão anunciada esta quinta-feira: Portugal continua com uma incidência e com um R(t) muito acima das linhas vermelhas originalmente impostas pelo Governo, mas está melhor do que reflete a matriz e pronto para entrar numa nova fase de desconfinamento.

Metade desses gráficos tinham por objetivo comparar a quarta vaga de Covid-19 em Portugal com aquela que o país viveu anteriormente, entre 27 de dezembro e 5 de abril. E a conclusão é que as duas ondas são, na verdade, incomparáveis: não houve tantos casos, nem tantos internamentos ou mortes. Estas boas notícias, aliadas ao ritmo de vacinação em Portugal — acima da média europeia, como o Governo realça num dos diagramas — dão luz verde ao Executivo para pegar em alguns dos conselhos dos especialistas e implementá-los no país.

Situação epidemiológica está cada vez melhor

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.