O Centro de Saúde de Valbom, em Gondomar, está encerrado provisoriamente após alguns dos seus profissionais terem revelado sintomas compatíveis com a inalação de gás metano, numa situação que especialistas já estão a analisar.

Fonte da Administração Regional de Saúde do Norte (ARS-Norte) disse esta sexta-feira à agência Lusa que um primeiro alerta para o caso foi dado pelas 17:30 de quinta-feira, “quando alguns profissionais começaram a tossir e com comichão nos olhos”, pelo que de imediato foram acionados os bombeiros e os serviços de saúde pública e saúde ambiental.

“Fomos alertados para uma fuga de gás, fizemos a nossa avaliação, não foi detetado nada. Contudo, o caso está agora a ser avaliado por engenheiros da ARS-Norte”, contaram os bombeiros de Valbom.

A própria ARS-Norte explicou que, após essa avaliação, a atividade no centro de saúde foi retomada ainda na quinta-feira, sendo novamente interrompida já esta sexta-feira quando alguns funcionários voltaram a evidenciar sintomas similares aos da véspera.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

A diretora executiva encerrou então a unidade e mandou profissionais e utentes para a Unidade de Saúde Familiar de Monte Castro, em Gondomar, distrito do Porto, até que a situação esteja clarificada”, contou a fonte.

O regresso às instalações de Valbom só acontecerá se e quando surgir “luz verde” dos engenheiros do Gabinete de Instalações e Equipamentos da ARS-Norte.