Portugal vai passar a ter duas linhas vermelhas uniformes em todo o país: o nível de alerta acima dos 240 novos casos por 100 mil habitantes e o nível de risco acima de 480 novos casos por 100 mil habitantes. Assim, os dados da incidência cumulativa de 28 de julho, divulgados esta quinta-feira, mostram que, dos 278 concelhos em Portugal continental, 38 estão no nível de risco, 98 no nível de alerta e 142 abaixo dos 240 casos por 100 mil habitantes.

A monitorização da evolução da pandemia continuará a ser feita com base nos indicadores de incidência e R(t) [índice de transmissibilidade], agora adaptados de acordo com a evolução da vacinação (nível de alerta passa para 240, nível de risco passa para 480)”, de acordo com o site Estamos On.

Considerando os 308 concelhos do país: 40 concelhos estão no nível de risco, 102 estão no nível de alerta e 166 estão abaixo dos 240 casos por 100 mil habitantes. Todos os concelhos da Madeira estão abaixo dos 240 casos por 100 mil habitantes. Nos Açores, 13 estão também abaixo desta linha vermelho e seis acima — dos quais, dois com mais de 480 casos por 100 mil habitantes.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Sete dos 10 concelhos com maior incidência estão no Algarve

Sines é o concelho com maior incidência cumulativa a 14 dias, segundo o Boletim Epidemiológico da Direção-Geral da Saúde, divulgado esta sexta-feira.

Entre os 10 concelhos com a incidência acumulada mais alta, sete estão localizados no Algarve — mas 10 dos concelho algarvios estão no nível de risco.

Dos concelhos algarvios, o que apresenta a maior descida na incidência, com menos 453 novos casos por 100 mil habitantes no espaço de uma semana, é Albufeira — o concelho foi também o que registou a maior descida em todo o país.

Concelhos Incidência a 28.Jul Incidência a 21.Jul
Sines 1364 1335
Portimão 1183 1137
Albufeira 1100 1553
Loulé 993 1120
São Brás de Alportel 954 983
Lagos 932 1034
Cuba 902 660
Lagoa, Algarve 849 769
Faro 837 888
Lousada 827 706

Cuba é dos concelhos com maior incidência aquele que apresenta o maior aumento no espaço de uma semana, mas aparece em quinto lugar numa lista dominada por territórios de baixa densidade. No topo dessa lista, estão Vila Nova de Foz Côa e Mirandela, cuja incidência aumentou mais de 350 novos casos por 100 mil habitantes.

Incidência cumulativa em Matosinhos é 10 vezes mais alta do que a 22 de junho

Dos 17 concelhos da Área Metropolitana do Porto (AMP), 11 apresentaram subidas e seis tiveram ligeiras descidas, incluindo o concelho do Porto.

O concelho com a maior subida foi Espinho, com mais 106 novos casos por 100 mil habitantes (a 14 dias), no espaço de uma semana. Espinho tem vindo a subir a incidência desde 22 de junho, quando tinha 37 casos por 100 mil habitantes.

Outro exemplo é Matosinhos, que desde 22 de junho tem uma incidência cumulativa 10 vezes mais alta — subiu de 74 para 736 casos por 100 mil habitantes. Póvoa de Varzim e Vila do Conde também têm subido a incidência todas as semanas desde a mesma data.

A AMP tem 10 concelhos com a incidência cumulativa acima dos 480 novos casos por 100 mil habitantes e quatro abaixo dos 240 casos por 100 mil habitantes.

Concelhos Incidência a 28.Jul Incidência a 21.Jul Incidência a 14.Jul
Arouca 281 218 330
Espinho 517 411 299
Gondomar 533 602 479
Maia 521 539 392
Matosinhos 736 714 542
Oliveira de Azeméis 208 146 84
Paredes 550 532 359
Porto 823 871 758
Póvoa de Varzim 486 413 288
Santa Maria da Feira 237 216 137
Santo Tirso 482 549 433
São João da Madeira 240 195 141
Trofa 439 348 203
Vale de Cambra 217 137 80
Valongo 513 527 395
Vila do Conde 478 416 230
Vila Nova de Gaia 562 597 502

Concelhos da AML descem incidência, mas estão quase todos acima de 240 casos por 100 mil habitantes

Todos os concelhos da Área Metropolitana de Lisboa diminuíram a incidência cumulativa a 14 dias na última semana, segundo os dados de 28 de julho, divulgados esta sexta-feira.

A maior descida verificou-se na Moita — menos 128 novos casos por 100 mil habitantes —, seguida de Lisboa — menos 104 novos casos por 100 mil habitantes.

Ainda assim, dos 18 concelhos da AML, sete continuam acima dos 480 casos por 100 mil habitantes (incluindo Lisboa) e apenas um (Alcochete) está abaixo dos 240 casos por 100 mil habitantes.

Concelhos Incidência a 28.Jul Incidência a 21.Jul Incidência a 14.Jul
Alcochete 211 266 266
Almada 492 535 552
Amadora 460 500 512
Barreiro 626 713 608
Cascais 447 551 555
Lisboa 750 840 831
Loures 494 559 494
Mafra 406 436 495
Moita 592 720 687
Montijo 387 451 396
Odivelas 481 561 537
Oeiras 393 455 507
Palmela 314 318 315
Seixal 407 413 444
Sesimbra 439 493 500
Setúbal 353 358 291
Sintra 450 493 490
Vila Franca de Xira 514 609 555

Incidência desce em Cascais, mas todos os concelhos mais povoados continuam no nível de alerta ou de risco

Entre os 15 concelhos com maior densidade populacional (ainda com dados dos Censos de 2011), o Porto foi o que teve a maior incidência cumulativa, seguido de Lisboa, Matosinhos e Barreiro.

Todos os concelhos estão acima da linha vermelha traçada nos 240 novos casos por 100 mil habitantes e mais de metade (nove) estão acima dos 480 casos por 100 mil habitantes.

Ainda assim, a maior parte (11) diminuiu a incidência na última semana, com destaque para Cascais que registou menos 104 casos por 100 mil habitantes no espaço de uma semana. A maior subida registou-se no Entroncamento (mais 137 casos por 100 mil habitantes), seguido de Espinho.

Concelhos Incidência a 28.Jul Incidência a 21.Jul
Amadora 460 500
Lisboa 750 840
Porto 823 871
Odivelas 481 561
Oeiras 393 455
Matosinhos 736 714
São João da Madeira 240 195
Almada 492 535
Barreiro 626 713
Cascais 447 551
Vila Nova de Gaia 562 597
Seixal 407 413
Maia 521 539
Espinho 517 411
Entroncamento 269 132