Em 2017, incluído num pacote onde também estava o basquetebol 3×3, o BMX freestyle foi oficialmente aprovado pelo Comité Olímpico Internacional enquanto nova modalidade olímpica. Logo um ano depois dos Jogos do Rio e a teóricos três dos Jogos de Tóquio, milhares de praticantes no mundo inteiro ganhavam uma esperança inesperada de um dia conquistar uma medalha de ouro — tal como aconteceu com o surf, com o skate e com a escalada. E para Charlotte Worthington, a primeira campeã olímpica de BMX, a entrada da modalidade para o calendário dos Jogos foi um autêntico 360 na própria vida.

Na altura, a britânica natural de Manchester tinha apenas 20 anos. Dedicava-se ao BMX desde o ensino secundário mas sempre de forma amadora, sem entrar em competições oficiais. Há quatro anos, quando a modalidade entrou oficialmente para o cardápio olímpico, Charlotte era chef num restaurante mexicano e estava longe de imaginar que iria mudar de carreira. Abordada pela British Cycling pouco depois, despediu-se do restaurante, mudou-se para Corby, nas East Midlands, e passou a trabalhar única e exclusivamente para o objetivo de chegar aos Jogos Olímpicos de Tóquio.

“O meu estilo de vida, antes de tudo isto, não era o estilo de vida de uma atleta de elite. Depois de ser chef durante três anos, dormia o mínimo, tinha uma dieta pobre e nunca fazia exercício. Acordei quando obtive um mau resultado em França no ano passado. A British Cycling sabe como criar campeões e eu percebi que tinha de apertar o cinto, dormir mais, melhorar a minha dieta e ir para o ginásio”, explicou Charlotte à BBC. Mas foi só há pouco mais de um mês, graças à medalha de bronze que alcançou no Urban Cycling World Championship, que a atleta conseguiu integrar a lista de 26 ciclistas que a Grã-Bretanha levou para Tóquio.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

A britânica de 25 anos era uma das candidatas ao pódio mas estava longe de ser a favorita ao ouro — essa, de forma clara, era a norte-americana Hannah Roberts, que aos 19 anos já leva três títulos de campeã mundial e uma vitória nos Jogos Pan-Americanos. Este domingo, porém, era o dia de Charlotte Worthington. A ciclista até caiu na primeira run mas conseguiu explodir na segunda, alcançando backflips, frontflips, wall rides e até um backflip 360 que nunca tinha sido feito em competições oficiais. Charlotte registou uma impressionante pontuação de 97.50, eclipsando os 96.10 de Roberts, e conquistou o primeiro ouro olímpico em BMX freestyle. A norte-americana ficou com a prata e Nikita Ducarroz, da Suíça, garantiu a medalha de bronze.