O Sporting conquistou este sábado a nona Supertaça ao vencer o Sporting de Braga por 2×1. Ruben Amorim disse que foi “bom” começar a época com um título. Reconheceu que a equipa jogou “mal” nos primeiros 15 minutos, mas depois conseguiu “tomar conta do jogo” e a vitória foi “justa”. Sobre o futuro, o treinador leonino é explícito: não quer saídas e vai encarar a próxima época com o mesmo lema, “jogo a jogo”.

Na conferência de imprensa após a partida, Ruben Amorim assumiu que o Sporting começou o jogo com “ansiedade” e teve “dificuldade a construir”, além de o Braga ter “pressionado”. “Não conseguíamos passar a linha defensiva, trocávamos com o Adán, não estávamos a conseguir a ligação com o ataque”, reconhece, sendo que depois “desses 15 minutos, a equipa conseguiu tomar conta do jogo”. 

O técnico dos leões referiu que o golo do Braga “fez bem” à equipa. “Libertámo-nos um pouco, não foi uma pressão extra, foi até uma grande ajuda”, afirmou, acrescentando que foi aí que o Sporting começou a “perceber onde estava o espaço, o Pote também começou a entrar no jogo”. Depois disso, a equipa fez dois “grandes” golos e foi isso que os “levou em vantagem ao intervalo” — e o resultado acabou por não se alterou mais.

Quanto à segunda parte, Ruben Amorim indicou que “foi do Sporting” e que, por isso, a vitória acaba por ser “justa”.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Sobre o futuro da equipa, o treinador dos leões prefere que ninguém saia do plantel: “Preferimos não ir buscar ninguém a vermos a alguém sair”. No entanto, não há ninguém que “intransferível”. “O clube é mais importante, é o mercado que dita as regras. Queria manter os jogadores, mas sei o momento que o Sporting vive”, sublinha.

Questionado pelos jornalistas sobre as expectativas do Sporting para o campeonato, Ruben Amorim quer “ganhar todos os jogos” e assume que deseja “vencê-lo”. Mas também confessa que existe “clubes grandes” em Portugal, que até estão mais “habituados a vencer que nós” e que têm “outro tipo de orçamento”. Além disso, o treinador garante que há algo no Sporting que “não vai mudar”: “Vai ser jogo a jogo”. “Ganhámos um titulo e agora vamos preparar o próximo jogo com o Vizela”, reforça.

Relativamente a Jovane Cabral, um “protagonista na equipa” que marcou o primeiro golo do Sporting, Ruben Amorim disse que é importante que o jogador não sofra tantos “altos e baixos”, nomeadamente com lesões. Ainda assim, diz ser um “talento incrível” e saúda o facto de ele “querer ser muito melhor” todos os dias.