A Direção dos Serviços Meteorológicos e Geofísicos (DSMG) de Macau emitiu esta segunda-feira o sinal 1 de tempestade tropical.

Segundo a informação mais recente das autoridades, a tempestade encontrava-se 320 quilómetros a oeste/sudoeste do território, a mover-se lentamente. A depressão tropical “vai intensificar-se nos próximos dias”, devendo passar o ponto mais próximo de Macau nos dias 03 e 04, indicou a DSMG.

O organismo informou ainda que o sinal 1 deverá continuar em vigor “durante a noite“, sendo “baixa a moderada” a probabilidade de ser emitido o sinal 3. A escala de alerta de tempestades tropicais é formada pelos sinais 1, 3, 8, 9 e 10, que são emitidos tendo em conta a proximidade da tempestade e a intensidade dos ventos.

Os Serviços Meteorológicos avisaram que, apesar de continuarem “a existir incertezas na previsão da trajetória e intensidade” da depressão tropical, são esperados “aguaceiros fortes e trovoadas ocasionais”, razão pela qual a população “deve ficar atenta à possibilidade de inundações causadas por chuvas fortes” nos próximos dias.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Para este ano, os Serviços Meteorológicos tinham previsto a ocorrência de cinco a oito tempestades tropicais até finais de setembro.

Desde 2017, três tufões obrigaram as autoridades a emitir o alerta máximo, com o último (Higos) a atingir Macau em agosto de 2020. Em setembro de 2018, o Mangkhut provocou 40 feridos e inundações graves no território.

Um ano antes, o tufão Hato (posteriormente denominado de Yamaneko pelas autoridades locais), considerado o pior em mais de 50 anos a atingir o território, causou dez mortos e 240 feridos.