O governo moçambicano recebeu esta segunda-feira mais de 500 mil doses da vacina chinesa VeroCell contra a Covid-19, que serão usadas para acelerar a imunização da população, numa altura em que o país está em plena terceira vaga da pandemia.

As vacinas desembarcaram no Aeroporto Internacional de Maputo e foram recebidas pela ministra da Saúde, Ilda Cardoso, na presença de quadros do setor e da comunicação social. “Esta é mais uma prova do compromisso do nosso Presidente [da República, Filipe Nyusi] e do nosso governo de criar todas as condições para que o povo tenha mais e melhores condições de saúde”, afirmou Ilda Cardoso.

Covid-19: patronato moçambicano preocupado com impacto de agravamento de restrições

Na ocasião, a governante anunciou o arranque, na quarta-feira, do processo de massificação da vacinação, com a imunização de todas as pessoas com idade igual ou superior a 50 anos, funcionários e agentes do Estado, motoristas e cobradores dos transportes públicos e professores que não foram vacinados na primeira fase.

A ministra da Saúde de Moçambique avançou que a meta do governo é assegurar que até setembro deste ano 20% dos cerca de 30 milhões de moçambicanos tenham recebido pelo menos uma dose de imunizante. Até ao final de 2021, as autoridades pretendem inocular mais de metade da população.