Com os Jogos Olímpicos a decorrerem na capital japonesa, ainda que debaixo de grandes restrições relacionadas com a pandemia de Covid-19, descobrem-se algumas curiosidades do transporte mais utilizado naquele país: o metro. Só em Tóquio, são cerca de 20 milhões os passageiros que ali circulam por mês.

Commuters exit the platform at Shinjuku station, said to be

Estação de Shinjuku, a mais movimentada do mundo, em 2015

A primeira curiosidade mostra um grande contraste com a cultura portuguesa. Cá, quando um metro chega, a única regra é a de deixar sair antes de entrar, e mesmo assim há sempre alguém que não o cumpre. Já no Japão, é formada uma fila e, quando o transporte chega, cada um entra à vez por ordem. Não é para menos, face à sobrelotação dos metros japoneses, principalmente em Tóquio. Só na estação de Shinjuku, por exemplo, a mais movimentada do mundo, passam cerca de quatro milhões de pessoas por dia nas 200 linhas que agrega. Não admira que as regras para entrar sejam escrupulosamente mantidas.

Neste país asiático, que regista umas das taxas de suicídio mas elevadas do mundo, também o metro ocupa um papel na prevenção. Nas estações existem barreiras físicas para o impedir. Já tinham sido instaladas luzes azuis nas plataformas, que pretendem relaxar as pessoas e evitar o ímpeto suicida, mas a colocação das barreiras que dividem as plataformas da via-férrea mostrou ser mais eficaz do que as lâmpadas LED. A pandemia de Covid-19 piorou a realidade já dramática no país, com os dados de janeiro deste ano a mostrarem um aumento de 750 suicídios de 2019 para 2020 — uma subida que quebra uma década de declínio.

Uma outra particularidade das estações japonesas são as carruagens rosa, para serem frequentadas exclusivamente por mulheres, criadas em 2000 por causa do aumento das queixas de assédio sexual na capital japonesa. As mulheres podem assim escolher viajar nas carruagens exclusivamente femininas ou nas restantes.

"Women Only" Carriages Introduced On Nine Private Railways And Subway Trains In Japan

Carruagem rosa numa estação de Tóquio em 2005

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

E se a carruagem cor de rosa não se impõe no cenário visual, o mesmo não se poderá dizer dos cartazes que proliferam por todo o lado com personagens de manga (as famosas histórias aos quadradinhos japonesas) ou banda desenhada a dar conselhos ou a apelar ao cumprimento de regras.

Como conta o jornal espanhol El Confidencial, que esteve a recolher algumas curiosidades sobre o metro japonês, tão depressa se pode ver um enorme Super Homem a pisar uma pastilha elástica para lembrar que o melhor é não a tirar da boca, como um Doraemon a prevenir os passageiros alcoolizados que não podem dormir nas carruagens.