O Governo de Macau declarou esta terça-feira o “estado de emergência imediata”, após identificar dois casos de Covid-19 e com as autoridades a afirmarem que o território “está em risco de sofrer um surto” comunitário.

O território foi notificado pelas autoridades da cidade vizinha chinesa de Zhuhai de que dois residentes de Macau tinham testado positivo à Covid-19 na segunda-feira, um deles um motorista afeto aos Serviços de Saúde.

O Centro de Coordenação de Contingência do Novo Tipo de Coronavírus anunciou já que a partir de esta terça-feira todos aqueles que queiram sair de Macau terão obrigatoriamente de apresentar um teste negativo que tenha sido feito nas últimas 24 horas.

Por outro lado, apelou à população para que  não abandone o território, “a não ser que seja necessário”.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Macau, que só identificou 61 casos desde o início da pandemia e não registou qualquer morte, bem como infeções entre profissionais de saúde, tem uma taxa de vacinação muito baixa: pouco mais de um terço da população e apenas 2% de vacinados entre os idosos com mais de 80 anos.

A pandemia de Covid-19 provocou pelo menos 4.227.765 mortos em todo o mundo, entre mais de 198,2 milhões de casos de infeção pelo novo coronavírus, segundo o balanço mais recente da agência de notícias France-Presse.

Em Portugal, desde o início da pandemia, em março de 2020, morreram 17.378 pessoas e foram registados 972.127 casos de infeção, segundo a Direção-Geral da Saúde.

A doença respiratória é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China, e atualmente com variantes identificadas em países como o Reino Unido, Índia, África do Sul, Brasil e Peru.