No dia em que faz 60 anos, Barack Obama volta a ser o presidente dos Estados Unidos da América. Não na prática, claro, mas através de uma minissérie documental que se estreia esta quarta-feira, 4 de agosto na HBO. “Obama: In Pursuit of a More Perfect Union” está dividida em três partes e faz um resumo da vida do político, desde que nasceu até ao momento em que teve de dar lugar a Donald Trump na Casa Branca, em 2017.

A história é fácil de seguir, mesmo para quem não está familiarizado com as complexidades do sistema político norte-americano. Contudo, os episódios são demasiado longos (os dois primeiros rondam uma hora e 30 e o último tem quase duas horas) e, sobretudo no que toca à infância e adolescência de Obama, parecem não apresentar nada de novo. Que cresceu no Havai, filho de uma mulher do Kansas e de um homem do Quénia, já toda a gente sabe. Que o pai desapareceu da vida dele quando ainda era muito pequeno já toda a gente sabe. Que conheceu Michelle Obama durante um estágio de verão num gabinete de advogados já toda a gente sabe. Há relatos de colegas de escola e até de uma antiga namorada, mas as histórias que contam ficam sempre à superfície, não existe nada inédito ou empolgante.

À exceção de um amigo e da meia-irmã, também não há depoimentos do círculo mais íntimo do ex-presidente. Nem das filhas, Sasha e Malia, nem da mulher, Michelle. O próprio só aparece através de entrevistas antigas. Porém, de acordo com o realizador, Peter Kunhardt, essa escolha foi deliberada.  “Preferimos pegar nas palavras daqueles períodos no momento em que ele as disse”, explicou à revista Variety.

[o trailer de “Obama: In Pursuit of a More Perfect Union”:]

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.