Foi desmantelada esta terça-feira uma rede de narcotráfico ibérica que operava em Vila-Real numa operação conjunta entre a Guardia Civil, a Policía Nacional espanhola e a Polícia Judiciária portuguesa. Três pessoas foram detidas nesta operação, entre elas uma mulher de 79 anos, suspeita de ser a cabecilha da organização criminosa.

Às suas ordens estariam dois homens espanhóis, de 26 e 60 anos, que criaram uma empresa fachada em Portugal para justificarem a receção de contentores onde escondiam a droga. O Ministério do Interior espanhol, citado pelo El País, indicou que a empresa dizia importar pedra coral da República Dominicana.

A Guardia Civil fez esta terça-feira uma publicação no Twitter onde mostra a detenção destes dois elementos do grupo.

Os contactos estabelecidos com outros grupos de narcotráfico permitiam e facilitavam a comercialização e distribuição final da droga por todo o país. O dinheiro obtido era também utilizado para pagar as despesas legais da empresa de fachada e da carga que escondia a droga no contentor. Os polícias destacaram, na nota publicada, que este tipo de prática não é comum no tráfico de droga.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

O grupo funcionava ainda como um sistema hierárquico. A cabecilha era a dona da empresa de fachada, um dos detidos estava encarregue de retirar a droga dos contentores e o outro de coordenar e controlar a entrada da droga na Península Ibérica. A Guarda Civil, a Polícia Nacional e a Polícia Judiciária de Portugal encontraram uma saco desportivo com blocos cilíndricos de 15 quilos de cocaína na casa onde residiam os integrantes do grupo. Não excluem novas detenções.