Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

A queda de um drone na quarta-feira fez com que a Força Aérea Portuguesa suspendesse todos os voos de drones das missões de vigilância florestal e deteção de incêndios, noticiou o Diário de Notícias.

Esta é a segunda vez que a Força Aérea suspende o voo dos drones com este objetivo. Já foram registados quatro incidentes desde o verão passado, quando o programa de vigilância teve início.

GNR vigia incêndios rurais com 14 drones autorizados pela Proteção de Dados

De acordo com a GNR, “até 31 de julho de 2021, foi possível realizar pela FAP, por solicitação da Guarda, 25 planos de voo, 13 dos quais em Beja e 12 na Lousã”, referiu o Diário de Notícias.

O Estado-Maior General das Forças Armadas (EMGFA) diz que os drones serão usados assim que estejam certificados para voo.