Disparos israelitas feriram este sábado 24 palestinianos, incluindo um rapaz alvejado na cabeça, segundo autoridades sanitárias, enquanto manifestantes da faixa de Gaza atiravam pedras e queimavam pneus numa manifestação na fronteira com Israel.

Os violentos confrontos deste sábado, segundo a agência de notícias Associated Press, assemelharam-se às manifestações semanais organizadas pelo Governo do Hamas em Gaza em 2018 e 2019, para chamar a atenção para o bloqueio asfixiante de Israel sobre o pequeno território à beira-mar.

Centenas de pessoas participaram na manifestação, que se tornou violenta depois de dezenas de pessoas se terem aproximado da cerca fortificada da fronteira e atirado pedras contra os soldados israelitas, a coberto de uma cortina de fumo negra de pneus a arder. As tropas israelitas responderam com gás lacrimogéneo e tiros na direção dos manifestantes.

O Ministério da Saúde gerido pelo Hamas em Gaza disse que 24 palestinianos foram feridos pelo fogo israelita. Dois deles, incluindo um rapaz de 13 anos, encontravam-se em estado crítico.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Israel e o Hamas são inimigos que já lutaram em quatro guerras e inúmeras escaramuças desde que o grupo islâmico tomou o controlo de Gaza em 2007, um ano depois de ganhar as eleições palestinianas. A guerra mais recente, em maio, terminou com um cessar-fogo inconclusivo após 11 dias de combates.

Nas últimas semanas tem havido uma tensão crescente na região, com o Hamas a pedir a Israel que alivie o bloqueio a Gaza, o qual restringe grandemente a circulação de pessoas e bens dentro e fora do território. Israel tem imposto o bloqueio com a ajuda egípcia desde 2007, dizendo que é necessário para impedir o Hamas de se armar.

Numa declaração, o Exército israelita disse que as tropas responderam com tiros depois de centenas de palestinianos se terem manifestado na fronteira Gaza-Israel.