Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Aproxima-se a chegada ao mercado do primeiro Ferrari de características familiares e não deixa de ser impressionante como esta realidade tem implicado mudanças para a marca italiana. Se até aqui os Ferrari eram conhecidos por serem coupés desportivos, com dois lugares ou, no limite, dois bons lugares à frente e duas “amostras” atrás, o novo SUV transalpino vai implicar grandes alterações em vários dispositivos e sistemas do construtor. A começar pela ventilação.

O Purosangue é o primeiro veículo familiar da casa fundada por Enzo Ferrari em 1939 com quatro portas, cinco lugares e uma bagageira decente para as malas da família, sendo estas outras características com que os técnicos italianos nunca até aqui tiveram de lidar. Ventilar os lugares anteriores, fornecendo-lhes o desejável ar frio ou quente, consoante a estação do ano, é uma coisa, mas os bancos traseiros nunca foram uma preocupação da casa de Maranello.

O Purosangue, tal como o Lamborghini Urus, é um SUV de características vincadamente desportivas, potente e ágil, apesar de também se sentir à vontade em mau piso, terrenos enlameados, areia e neve. Tudo sem esquecer o asfalto, onde tem de continuar a acelerar, travar e curvar como qualquer outro Ferrari, sendo este o objectivo do fabricante. Ora, para tudo isto estar à altura das expectativas, o construtor teve de recorrer a milagres tecnológicos para fazer esquecer o peso mais elevado e a maior altura ao solo.

Uma visita ao ferrari269forum revelou que o conforto a bordo não foi esquecido, sobretudo no que respeita à regulação da temperatura. O site partilhou desenhos que mostram a vontade de patentear câmaras térmicas que lêem a temperatura em diferentes zonas do habitáculo, levando em linha de conta o género, as dimensões corporais e a roupa usada.

Depois de analisados os dados recolhidos, obviamente numa questão de segundos, pois na Ferrari tudo é a propósito da rapidez, o sistema decide para onde deve enviar o ar, optimizando o débito e a temperatura, de forma a tudo estar perfeito. Pode parecer um preciosismo sem importância para muitos mas, para enfrentar o Lamborghini Urus e o Aston Martin DBX, a Ferrari resolveu não correr riscos com o Purosangue.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR