O Governo vai abrir, esta quinta-feira, um aviso com uma dotação global de dois milhões de euros dedicado à prevenção da bactéria ‘Xylella fastidiosa’, abrangendo investimentos na produção de espécies ornamentais, fruteiras e videira.

“O Ministério da Agricultura abre amanhã, quinta-feira, dia 26 de agosto, o anúncio “Prevenção de Calamidades e Catástrofes Naturais”, com uma dotação de dois milhões de euros, com o objetivo de promover uma atuação preventiva da propagação da bactéria ‘Xylella fastidiosa'”, indicou, em comunicado, o executivo.

Este aviso, que decorre até 26 de outubro, abrange investimentos superiores a cinco mil euros em viveiros de produção de plantas de espécies ornamentais, fruteiras e videira, as mais suscetíveis à bactéria.

O apoio em causa pode atingir 80% do custo total elegível dos investimentos, até ao limite de 80.000 euros por beneficiário.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

“A presença da bactéria ‘Xylella fastidiosa’ em território português constitui um risco para as explorações agrícolas, existindo um elevado número de espécies vegetais suscetíveis a esta bactéria, assim como condições climáticas propícias ao seu desenvolvimento. Pretendemos incentivar os produtores a dotarem as suas explorações com estruturas de proteção contra os insetos vetores da doença, através de um apoio financeiro que pode ir até aos 80%”, afirmou, citada no mesmo documento, a ministra da Agricultura, Maria do céu Antunes.

No início de agosto, a Direção-Geral de Alimentação e Veterinária (DGAV) anunciou que a bactéria ‘Xylella fastidiosa’ foi detetada em plantas de alecrim nas regiões Massamá e Monte Abraão, Sintra, e Luz de Tavira e Santo Estêvão, no Algarve.

Em causa está uma bactéria transmitida pelo inseto ‘Philaenus spumarius’ (vulgarmente conhecido como cigarrinha-da-espuma), que se alimenta do xilema das plantas e cujo ciclo se inicia na primavera.

A bactéria afeta um elevado número de espécies de plantas ornamentais e também espécies de culturas como a oliveira, a amendoeira, a videira ou a figueira.

Em 18 de janeiro de 2019, Portugal informou oficialmente a Comissão Europeia da presença da bactéria ‘Xylella fastidiosa’ em plantas de lavanda no jardim de um ‘zoo’ em Vila Nova de Gaia, no Porto, conforme disse à Lusa, na altura, uma fonte comunitária.