Obrigado por ser nosso assinante. Beneficie de uma navegação sem publicidade intrusiva.

Jorge Jesus, treinador do Benfica, e Pako Ayestaran, técnico do Tondela, estavam em linha na análise à vitória sofrida dos encarnados, no Estádio da Luz, por 2-1, com o segundo golo a surgir apenas aos 88′, por Gilberto.

“A equipa nos últimos 50 minutos esteve sempre no meio-campo do Tondela e na primeira parte não houve tanta qualidade. O Tondela correu atrás da bola e fechou bem os espaços. Ao intervalo disse aos jogadores que o segundo tempo ia ser mais fácil porque eles não iam estar tão bem fisicamente”, explicou Jesus no final do encontro, acrescentando que “os adeptos empurram a equipa para o golo e os jogadores não ficam com medo de falhar”.

O treinador do Benfica alterou três jogadores ao intervalo e diz que estes (Weigl, Rafa e Gilberto) “deram mais velocidade e qualidade à equipa”. “Sabia que o Weigl ia dar mais qualidade com bola e o Rafa mais velocidade. O Gilberto é patinho feio para os adeptos, mas com bola tem um critério muito forte. Foi uma vitória difícil, mas não há jogos fáceis. Ganhámos de forma justa e o Tondela rematou uma vez à baliza. Falar é fácil, jogar e treinar é muito difícil”, acrescentou.

Pako conhecia a casa mas Jesus tinha a liderança guardada no banco (a crónica do Benfica-Tondela)

“Ganhar é sempre importante porque estamos num clube onde o único objetivo é ganhar. A equipa fez o pleno no campeonato e isso dá-nos confiança. Vamos aproveitar para trabalhar outras valências físicas”, referiu ainda JJ sobre a liderança isolada da I Liga agora que vem a paragem para os jogos seleções.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Pako Ayestaran afirmou que “houve mérito do Benfica”, que “introduziu velocidade e qualidade” na segunda parte. “Encontraram mais espaços e custou-nos a fechar e a pressionar a bola. Depois eles começaram a empurrar-nos para trás. Tentámos meter jogadores frescos, para manter bola e sair rápido, mas não aconteceu. O público é sempre importante e o jogo não estava fácil. Creio que estava difícil encontrar buracos na nossa defesa e, neste tipo de jogos, sabe-se que tem de se estar bem, muito organizado. Também tivemos vários jogadores que treinaram apenas duas semanas com a equipa, mas tinha outros objetivos, porque precisamos de jogadores que entrem no onze inicial”, admitiu.