O mês de julho foi frio e seco em Portugal continental, com pouco mais de 20% do território em seca moderada ou severa, revela o boletim climático esta terça-feira divulgado pelo Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

Segundo o IPMA, em julho o valor médio da temperatura do ar – 21,54ºC – foi 0,63ºC inferior ao normal, entre 1971 e 2000, sendo o quinto valor mais baixo desde 2000 (o mais baixo foi registado em 2018, de 21,15ºC).

O valor médio da temperatura mínima – 14,59ºC – foi o terceiro mais baixo desde 2000 (o mais baixo foi em 2009, de 14,38ºC). O valor médio da temperatura máxima – 28,49 °C – foi inferior ao normal.

O dia mais quente foi 10 de julho, em Alcácer do Sal, no distrito de Setúbal, com 42,9ºC de temperatura máxima, enquanto o dia mais frio foi 13 de julho, nas Penhas Douradas, no distrito da Guarda, com 5,1ºC de temperatura mínima.

Setembro arranca com chuva, granizo e trovoadas. Há 12 distritos sob aviso

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Quanto à chuva, o boletim climático de julho refere que o valor médio da quantidade de precipitação – 3,7 milímetros – foi inferior ao valor normal, entre 1971 e 2000.

O dia mais chuvoso foi 25 de julho, em Montalegre, no distrito de Vila Real, com 13,1 milímetros de precipitação.

Em Portugal continental, a chuva caiu em julho entre os dias 2 e 6 e no dia 25 nas regiões do Norte e Centro, em particular no litoral e nas zonas de maior altitude, adianta o IPMA.

No mesmo mês, o dia mais ventoso foi 31 de julho, na Fóia, na Serra de Monchique, no Algarve, onde as rajadas atingiram 92,5 quilómetros por hora.

De acordo com o boletim, 19,5% do território continental estava em seca moderada, 4,4% em seca severa e 34,2% em seca fraca.

Grande parte das regiões do Baixo Alentejo e do Barlavento Algarvio estavam em seca moderada, enquanto as zonas de Alvalade do Sado e do Sotavento Algarvio em seca severa, precisa o documento.