Joe Biden e Xi Jinping tiveram “uma conversa ampla e estratégica”, em que discutiram áreas de interesse comuns. Durante a segunda conversa telefónica desde a tomada de posse de Biden em janeiro, os dois Presidentes “concordaram” em comprometer-se com os valores que defendem de forma “aberta e franca”.

De acordo com um curto comunicado emitido esta sexta-feira pela Casa Branca, Biden deixou claro durante a chamada que os Estados Unidos da América estão a trabalhar para “gerir a competição” com a China, promovendo uma competição que não provoque “conflito”.

“O Presidente Biden sublinhou o interesse duradouro dos Estados Unidos na paz, estabilidade e prosperidade do Indo-Pacífico e do mundo e os dois líderes discutiram a responsabilidade que as duas nações têm em assegurar a que competição não se transforma em conflito”, refere a nota de imprensa.

A agência de notícias chinesa, que segundo a CNBC confirmou a realização do telefonema pouco depois da Casa Branca, adiantou que Xi Jinping disse ao homólogo norte-americano que um “conflito” provocaria grande sofrimento aos dois países e ao mundo, sendo muito mais positivo que as duas nações encontrem uma forma de cooperar, respeitando as preocupações de cada um e gerindo as diferenças.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Esta cooperação poderá passar por temas como o clima, a Covid-19, a economia e outros temas importantes, nacionais e internacionais. “Os dois países não têm motivos para entrar em conflito devido à competição”, terá salientado o Presidente chinês.

Esta é a segunda conversa telefónica dos dois líderes após a tomada de posse de Joe Biden. A primeira chamada aconteceu em fevereiro, pouco antes do início do novo ano lunar chinês, e durou cerca de duas horas, refere a CNBC. O telefonema desta sexta-feira foi mais curto, de cerca de 90 minutos.