O candidato do PS à Câmara de Ponta Delgada, André Viveiros, afirmou esta quinta-feira que é necessário “evitar o despovoamento” das freguesias rurais do concelho, defendendo a aposta no turismo e o reforço das competências das Juntas de Freguesia.

Em declarações à agência Lusa, durante uma ação de campanha na freguesia da Candelária, André Viveiros destacou que as freguesias rurais de Ponta Delgada “não podem continuar a perder população”.

“[É necessário] evitar o despovoamento, evitar o abandono das nossas freguesias rurais. Deixá-las como seu património, com a sua identidade, e se possível com mais riqueza”, declarou.

O socialista defendeu o desenvolvimento das “potencialidades endógenas” das freguesias, para evitar a perda de população.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

“Não podemos continuar a perder população nas nossas freguesias, nomeadamente nas nossas freguesias ditas rurais. Elas têm os seus aglomerados, têm os seus processos identitários e esses não os podemos perder, sob pena (…) de deixar para trás um património”, afirmou.

De acordo com os dados preliminares do Censos 2021, o concelho de Ponta Delgada, na ilha de São Miguel, continua o mais povoado da região autónoma, com 67.287 residentes, mas registou uma perda de 1.522 (menos 2,2%) relativamente a 2011.

André Viveiros afirmou que o turismo pode ser uma “alavanca” do desenvolvimento do concelho e um “complemento” para a “criação de riqueza” nas freguesias rurais, juntamente com as “produções locais”.

“O turismo pode estar disseminado em todas as nossas freguesias rurais. Consequentemente, pode derramar riqueza, pode derramar rendimento”, assinalou.

O candidato do PS à maior autarquia dos Açores defendeu a utilização do “modo de vida” das freguesias rurais como uma “forma de potenciar o turismo”.

André Viveiros disse ainda ser “importante reforçar a delegação das competências” das freguesias.

Segundo advogou, as freguesias devem ter a “capacidade” de “definir as prioridades dentro de um conceito alargado” estabelecido pelo município.

O candidato deu o exemplo da rede viária: “Não precisamos agora de discriminar o caminho, a rua ou o passeio. O que podemos dizer, por exemplo, é que é preciso melhorar a rede viária e dentro da Junta de Freguesia e da Assembleia de Freguesia aí sim, alguém (…) decide qual é a rua e qual é o passeio”.

São candidatos à Câmara de Ponta Delgada Pedro Nascimento Cabral (PSD), André Viveiros (PS), Vera Pires (BE), Luís Miguel Quental (IL), Luís Franco (Chega), Rui Teixeira (CDU) e Dinarte Pimentel (PAN).

O município é composto por 24 freguesias: Ajuda da Bretanha, Arrifes, Candelária, Capelas, Covoada, Fajã de Baixo, Fajã de Cima, Fenais da Luz, Feteiras, Ginetes, Livramento, Mosteiros, Pilar da Bretanha, Relva, Remédios, Santa Bárbara, Santa Clara, Santo António, São José, São Pedro, São Roque, São Sebastião, São Vicente Ferreira e Sete Cidades.

Nas eleições autárquicas de 2017, o PSD venceu a Câmara de Ponta Delgada com 51,28%, alcançando cinco mandatos, sendo que os outros quatro mandatos foram conquistados pelo PS (39,11%). O BE teve 1,06%, o PAN 1,80%, a CDU 1,05% e a coligação CDS-PP/PPM 0,95%.

Em 11 eleições autárquicas livres, o PSD presidiu quase sempre à Câmara de Ponta Delgada, com exceção do mandato 1989-1993.

As eleições autárquicas estão marcadas para 26 de setembro.