O cabeça de lista da CDU à Câmara de Leiria, Sérgio Silva, disse esta quinta-feira que o concelho anda a duas velocidades e acusou o município de discriminar freguesias.

“Temos hoje um concelho a duas velocidades. O concelho cidade, que anda para a frente em termos populacionais, cresce, e o resto do concelho, que anda para trás, está em marcha à ré em termos populacionais”, afirmou à agência Lusa Sérgio Silva.

O candidato, que esteve de manhã nas freguesias de Maceira e Arrabal, e agora à tarde em Marrazes, considerou que esta “é uma questão a encarar com muita premência” no próximo mandato e “a precisar de um plano que seja multidisciplinar, multifacetado”, para esta tendência ser contrariada.

Sérgio Silva referiu, em particular, Maceira, com “grande dinâmica económica”, que “tem hoje [esta quinta-feira] menos população que há 40 anos”.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

“Isto significa que as políticas municipais para aquela freguesia — aliás como para a generalidade das freguesias do nosso território – estão erradas”, declarou, apontando “dezenas de anos de erros sobre erros” que estão a fazer o concelho perder população.

Ainda caso da Maceira, que o cabeça de lista da CDU, coligação que junta Partido Comunista e Partido Ecologista “Os Verdes”, afirmou que se replica noutras freguesias, assinalou a “enorme falta de habitação”.

“Temos de criar as condições para que essas freguesias continuem a ser atrativas para viver”, sustentou.

Sérgio Silva salientou ainda que há freguesias discriminadas, situação que atribui às políticas que “não são pensadas para o território”.

“Há freguesias até que – podemos dizer – são profundamente discriminadas”, afirmou, exemplificando, entre outras, com Monte Real, que “está ao abandono”, onde há “o problema das termas e ninguém parece preocupado em resolvê-lo”.

“Também nunca nos pareceu que na Câmara Municipal de Leiria houvesse grande interesse em resolver o problema da Linha [ferroviária] do Oeste e é preciso resolvê-la, porque há várias freguesias que eram servidas no passado por essa linha com eficácia e hoje não são”, observou, defendendo a necessidade de “colocar pressão sobre o Governo para que acelere” o seu processo de requalificação.

Sérgio Silva destacou que “as freguesias são uma parte do território do concelho e quem tem a obrigação de investir no concelho é o município, quem tem a obrigação de proceder a operações de planeamento, nomeadamente de planeamento estratégico para o desenvolvimento é o município, e, de facto, nada é feito”.

Nas últimas eleições autárquicas, em 2017, o PS manteve a liderança da Câmara de Leiria, conquistando oito mandatos, enquanto o PSD obteve três.

São também candidatos à Câmara de Leiria nas eleições autárquicas de dia 26 o presidente da Câmara, Gonçalo Lopes (PS), Álvaro Madureira (PSD), Luís Paulo Fernandes (Chega), Marcos Ramos (Iniciativa Liberal), Pedro Machado (PAN), Luís Miguel Silva (BE), Fábio Seguro Joaquim (CDS-PP/MPT) e Filipe Honório (Livre).