O cabeça de lista do BE à presidência da Câmara da Guarda, Jorge Mendes, defendeu esta quarta-feira a requalificação do recinto das feiras e mercados quinzenais, que se apresenta numa situação “extremamente preocupante” e sem condições para comerciantes e compradores.

Segundo Jorge Mendes, a situação atual do recinto que recebe as feiras e os mercados quinzenais da cidade mais alta do país, situado na encosta da Quinta do Ferrinho, é “extremamente preocupante”.

“O BE já há muitos anos, na Assembleia Municipal, por várias vezes, tem alertado para a necessidade de dignificar este espaço, partindo-se do princípio de que não há outra solução”, referiu à agência Lusa o candidato, durante uma visita ao recinto e após contacto com comerciantes e compradores.

Jorge Mendes disse que “é fácil de ver” que as pessoas que ali trabalham e que ali se deslocam “não têm as condições devidas”.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

“E, depois, estamos a falar, inclusive, de muitas pessoas que vendem, que vendem basicamente só nas feiras. E isto [o espaço comercial ao ar livre] tem de ser atrativo, porque, caso contrário, as pessoas não vêm. E é muito difícil, neste tipo de condições, ser minimamente atrativo, em condições de competição que são profundamente desiguais”, explicou.

O candidato do BE à Câmara da Guarda defendeu a manutenção do espaço das feiras e mercados ao ar livre naquele local, mas “com uma profunda intervenção”, à semelhança do que acontece em Viseu e Leiria, por exemplo, transformando o recinto num “espaço que servisse também como ‘multifunções'”.

Se o BE “tiver alguma força no executivo municipal, seja como presidente, seja como vereador”, Jorge Mendes promete que tudo fará para operar a “profunda alteração que é necessária”.

“Andamos há oito anos, há 12, há 16, sempre a falar do mesmo. Desde que vivo na Guarda, há quase 30 anos, que me recordo de um espaço quase abandonado, estragado, sem condições”, acrescentou, assumindo que a situação “envergonha a cidade e, envergonha, acima de tudo, os políticos que ao longo destes anos todos nada têm feito na cidade para a tornar mais atrativa e mais humana”.

O município da Guarda é presidido pelo PSD desde 2013, quando o partido ganhou as eleições com o candidato Álvaro Amaro, que repetiu a vitória em 2017.

Nas eleições autárquicas de 2017, o PSD obteve 61,20% dos votos e cinco mandatos autárquicos, e o PS obteve 23,35% e elegeu dois vereadores.

O município é presidido, desde abril de 2019, por Carlos Chaves Monteiro, que substituiu Álvaro Amaro quando este foi para o Parlamento Europeu.

Na Guarda, além de Jorge Mendes, são candidatos à liderança do município Sérgio Costa (independente), Carlos Chaves Monteiro (PSD), Luís Couto (PS), Pedro Narciso (CDS-PP), Honorato Robalo (CDU) e Francisco Dias (Chega).