Obrigado por ser nosso assinante. Pode ler este e todos os artigos do Observador em qualquer dispositivo.

Nunca chegou a ser jogador do Sporting e é precisamente por isso que quer ir para os tribunais. Rémi Leventoux, jogador de andebol francês de 29 anos, vai recorrer ao Tribunal do Trabalho de Lisboa para exigir uma indemnização de 171 mil euros aos leões por “despedimento ilícito”.

A história começa em março deste ano. Depois de dois anos no Felix Toulouse, com boas exibições e a demonstrar um poderio físico acima da média, Rémi Leventoux assinou contrato com o Sporting para reforçar a equipa de andebol dos leões. “O Sporting queria contratar-me desde há dois anos. Assinei contrato a 12 de março, o que me deixou orgulhoso. Infelizmente, lesionei-me. Estive em Lisboa, fui observado pelo médico do clube e foi-me dito que faria a reabilitação com a equipa médica do Sporting a partir de julho, de modo a juntar-me à equipa”, contou o francês ao jornal Record, detalhando que sofreu uma lesão no ligamento cruzado anterior do joelho.

Ricardo Costa é o novo treinador de andebol do Sporting

Ainda assim, o clube de Alvalade acabou por despedir o jogador a meio de julho, alegando a lesão grave que ainda estava a debelar, e Rémi Leventoux nem sequer chegou a estrear-se pelos leões. “O Sporting não cumpriu e vou para tribunal. Não se pode deitar fora as pessoas. Não foram honestos”, explica o pivô, que garante que o clube lhe arranjou um apartamento em Lisboa, que a mulher deixou o emprego em França e que até as mobílias da casa que tinham em Toulouse foram vendidas. Ou seja, que tinha a certeza absoluta de que vinha mesmo viver para Lisboa.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

“Tratou-se de um despedimento ilícito e feito a 15 de julho, depois de o contrato de trabalho de praticante desportivo entrar em vigor a 1 de julho. O atleta ficou privado de casa, que seria paga pelo Sporting, ficou sem clube, perdeu visibilidade e cotação de mercado, pelo que os danos deverão atingir os 171 mil euros”, acrescentou Luís Samagaio, o advogado de Rémi Leventoux, que adianta ainda que os médicos leoninos se limitaram a “uma mera observação externa do joelho” do jogador.