O cabeça de lista da Iniciativa Liberal à Câmara de Leiria, Marcos Ramos, lamentou esta sexta-feira que Leiria “tenha perdido o comboio” da linha do Oeste, uma infraestrutura que considera ter sido “esquecida” por PS e PSD.

“Esta linha tem sido constantemente esquecida e ignorada quer pelos executivos locais quer pelo Governo. Estamos a falar do Governo PS e PSD, inclusive a Câmara [Leiria] não tem exigido mais. Isto não é serviço público. Leiria tem efetivamente perdido o comboio e isso não é aceitável para nós“, afirmou Marcos Ramos, num encontro com o líder da IL, João Cotrim de Figueiredo, em frente à estação de comboios de Leiria.

Segundo o candidato, a “utilização desta linha tem sido efetivamente para as pessoas irem à praia”.

Encontrámos um registo em 1945 e já nessa altura se dizia que esta linha não respondia às necessidades, por causa da questão dos horários, por causa da questão da falta de oferta. O que aconteceu até agora foi muito pouco ou quase nada”, constatou.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Para o candidato, a linha do Oeste terá de ser “combinada com uma ligação à alta velocidade”, já que assim “não responde às necessidades dos empresários nem das populações locais”.

“Leiria é um polo de atração de emprego e há muitas pessoas que vivem aqui à volta e trabalham em Leiria. Deslocam-se de carro porque não têm nenhuma alternativa. A nossa proposta é pensar tudo isto de forma integrada“, sublinhou, ao defender “um sistema de transportes públicos”.

Para Marcos Ramos, o que existe “não são transportes públicos”, mas “uma manta de retalhos de coisas que não funcionam” e que influenciam a habitação.

“Por exemplo, o Politécnico de Leiria tem um polo entre a ESECS [Escola Superior de Educação e Ciências Sociais], a ESTG [Escola Superior de Tecnologia e Gestão] e a ESSLei [Escola Superior de Saúde de Leiria] com 9.000 estudantes. São 9.000 alunos que vivem em Leiria e que têm muita dificuldade em arrendar quartos, porque também não há transportes públicos para que possam estar um pouco mais distantes. Uma rede de transportes mais eficiente também iria permitir combater este problema e a questão da habitação só se resolve com mais oferta”, adiantou.

Por isso, a IL propõe para Leiria a criação do Gabinete de Construção 2.0, “que tem a ver com a desburocratização e a aceleração na tomada de decisão de processos de licenciamento de arquitetura e de recuperação de imóveis”.

Nas últimas eleições autárquicas, em 2017, o PS manteve a liderança da Câmara de Leiria, conquistando oito mandatos, enquanto o PSD obteve três.

São também candidatos à Câmara de Leiria nas eleições autárquicas de dia 26 o presidente da Câmara, Gonçalo Lopes (PS), Pedro Machado (PAN), Luís Paulo Fernandes (Chega), Álvaro Madureira (PSD), Luís Miguel Silva (BE), Fábio Seguro Joaquim (CDS-PP/MPT), Filipe Honório (Livre) e Sérgio Silva (CDU).