O deputado de Macau José Pereira Coutinho defendeu esta sexta-feira testes obrigatórios à Covid-19 de pessoas vacinadas há mais de oito meses e que as autoridades devem equacionar a administração de uma terceira dose da vacina.

“O sistema imunológico vai diminuindo à medida que o tempo avança. É preciso dar orientações às autoridades sanitárias e perceber se inclusive será necessário avançar para uma terceira dose”, afirmou à agência Lusa.

Pereira Coutinho enviou uma interpelação escrita ao Governo de Macau sobre as recentes orientações que determinam a testagem de trabalhadores a cada sete dias.

O deputado afirmou que “é sabido a nível mundial que a eficácia das vacinas vai baixando a partir dos seis a oito meses da vacinação”.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Por isso, questionou, “serão os vacinados a partir dos oito meses um fator de risco que não está a ser neste momento devidamente avaliado?”.

Por outro lado, insistiu, “como é que o Governo pode garantir a segurança da população, testando só os não vacinados?”.

A resistência à vacina em Macau tem levado as autoridades sanitárias a promover campanhas de sensibilização, com apelos sistemáticos à vacinação.

Na segunda-feira, anunciaram mesmo que os trabalhadores de Macau, nos setores público ou privado, ficam obrigados a fazer um teste à Covid-19 a cada sete dias, caso não estejam vacinados.

Desde o início da pandemia da Covid-19, Macau registou 63 casos da doença, dos quais 58 em pessoas oriundas do exterior e cinco relacionados com estes casos “importados”.

A Covid-19 provocou pelo menos 4.656.833 mortes em todo o mundo, entre mais de 226,31 milhões de infeções pelo novo coronavírus registadas desde o início da pandemia, segundo o mais recente balanço da agência de notícias France-Presse.

A doença respiratória é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China, e atualmente com variantes identificadas em países como o Reino Unido, Índia, África do Sul, Brasil ou Peru.