O candidato do Iniciativa Liberal (IL) à Câmara de Ponta Delgada, Luís Quental, quer reduzir a burocracia dos agricultores no concelho açoriano e defendeu esta sexta-feira que o município deve ser um “facilitador” das atividades económicas.

Em declarações à agência Lusa, após uma reunião com a direção da cooperativa agrícola Bom Pastor, na freguesia de Arrifes, Luís Quental considerou um “problema” a “série de burocracias” que os agricultores têm ao nível das explorações e terrenos agrícolas.

“Falar dos problemas agrícolas não é só falar do preço do leite. É falar de uma série de questões burocráticas que este setor enfrenta”, assinalou.

Considerando que o setor agrícola está a atravessar “bastantes dificuldades”, defendeu uma redução da burocracia.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

“Da parte da Câmara, e sendo nós um partido liberal, pretendemos ir ao encontro dessas necessidades e dificuldades, criando uma situação em que tem de haver menos burocracia”, afirmou.

Luís Quental propôs a criação de um “posto de atendimento avançado” dos serviços municipais naquela cooperativa, como forma de implementar uma “política de proximidade”.

“Criar um posto de atendimento de proximidade aqui na cooperativa faz todo o sentido (…). Os agricultores já têm aqui uma série de valências e resolvem aqui a sua vida. Seria mais um passo em frente no processo de desburocratização”, afirmou.

O candidato realçou que o setor agrícola “impulsiona a economia do concelho” e lembrou os problemas relacionados com os caminhos agrícolas, o abastecimento de água e a eletrificação das explorações.

“Olhámos sempre com bons olhos o agricultor em todo este processo e continuamos a querer ser um facilitador para que todas as atividades económicas no nosso concelho cresçam e prosperem”, apontou.

O liberal defendeu que devem ser criadas as “condições” para “diversificar a produção” agrícola, através da aposta na horticultura e floricultura.

Quental avançou ainda com a intenção de “interligar” o turismo e a agricultura através da criação de quintas temáticas.

“Temos de criar quintas temáticas. Já existem aí projetos bastante interessantes de privados em que se alia a agricultura com a parte do turismo, fazendo circuitos turísticos, passando pelas quintas, entendendo como é que as coisas e os produtos crescem, [para] assim interligar esses dois setores importantes”, assinalou.

São candidatos à Câmara de Ponta Delgada Pedro Nascimento Cabral (PSD), André Viveiros (PS), Vera Pires (BE), Luís Miguel Quental (IL), Luís Franco (Chega), Rui Teixeira (CDU) e Dinarte Pimentel (PAN).

Nas eleições autárquicas de 2017, o PSD venceu a Câmara de Ponta Delgada com 51,28%, alcançando cinco mandatos, sendo que os outros quatro mandatos foram conquistados pelo PS (39,11%). O BE teve 1,06%, o PAN 1,80%, a CDU 1,05% e a coligação CDS-PP/PPM 0,95%.

Em 11 eleições autárquicas livres, o PSD presidiu quase sempre à Câmara de Ponta Delgada, com exceção do mandato 1989-1993.

As eleições autárquicas estão marcadas para 26 de setembro.