O prazo de entrega de propostas para o fornecimento de autocarros elétricos para transporte urbano de passageiros, equipamentos de carregamento e serviços de manutenção do Sistema de Mobilidade do Mondego (SMM) foi alargado até ao final de outubro.

De acordo com o Diário da República de esta quinta-feira, a sociedade Metro Mondego decidiu alargar o prazo até ao 35.º dia após a publicação de esta quinta-feira.

“O conselho de administração e o júri do concurso decidiram alargar o prazo por mais 15 dias a pedido dos potenciais interessados, já que se trata de um concurso de elevada complexidade”, explicou à agência Lusa Eduardo Barata, vogal da Metro Mondego.

Segundo o administrador, esta situação é encarada de forma “muito positiva, na medida em que revela um interesse muito grande por parte dos potenciais candidatos ao concurso”, que estava previsto terminar a meio de outubro.

“Existe um conjunto de características que o tornam muito exigente”, frisou Eduardo Barata, que salientou o facto de o caderno de encargos abranger componentes produzidos por diversos fornecedores.

O SMM “consiste na implementação de um ‘metrobus’, utilizando veículos elétricos a baterias que irão operar no antigo ramal ferroviário da Lousã e na área urbana de Coimbra”, ligando esta cidade a Serpins, no concelho da Lousã, com passagem em Miranda do Corvo, numa extensão de 42 quilómetros.

Em 14 de maio, a Metro Mondego deliberou a abertura do concurso público para a compra de 40 autocarros elétricos e sistema de carregamento de baterias, cujo investimento está orçado em 39,5 milhões de euros.

O concurso prevê também um investimento de 19,1 milhões de euros na manutenção dos veículos e no sistema de carregamento durante o seu prazo de vida útil (15 anos).

Segundo a Metro Mondego, a entrega dos primeiros veículos para o SMM estava prevista para o segundo semestre de 2023.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR