O candidato da CDU à presidência da Câmara Municipal da Amadora, António Borges, visitou este sábado a Cova da Moura e propôs-se a iniciar num mandato a requalificação deste bairro, onde vivem cerca de 4.000 pessoas.

A visita a este bairro da freguesia das Águas Livres até começou com um percalço, devido a um problema técnico no carro de som, que, após solucionado, foi ecoando mensagens de apelo ao voto que se misturaram com a música que se ouvia de algumas janelas.

A liderar a comitiva comunista, além do cabeça de lista, António Borges, estava também o número dois à Junta de Freguesia das Águas Livres, Jackilson Pereira, residente no Alto da Cova da Moura.

“No dia 26 votem na CDU. Vocês sabem que se eles não tivessem ideias para ajudar o bairro não os trazia aqui”, ia dizendo Jackilson, em crioulo, à medida que introduzia aos moradores e comerciantes os cabeças de lista à Câmara Municipal, Junta de Freguesia e Assembleia Municipal.

Em declarações à agência Lusa, o candidato da CDU (PCP/PEV), António Borges, manifestou-se satisfeito com a recetividade dos moradores da Cova da Moura, que “estão cansados de promessas que tardam em ser concretizadas”.

“Depois de tantas promessas, nós temos vindo a ganhar a adesão por parte dos moradores. Congratulamo-nos, agora, que outras forças políticas se juntem a nós”, sublinhou.

Para António Borges, a solução para a precariedade vivida no bairro (construído maioritariamente em terrenos privados) passa pela expropriação dos terrenos e a sua requalificação.

“Há habitações que têm condições de se manter, de ficar de pé, e há outras que não têm condições. Aquilo que nós defendemos é que se faça a requalificação, mantenha-se as habitações que tenham condições de ficar e que as outras deixem de existir”, apontou.

O candidato comunista estima que este processo possa ser iniciado num mandato.

“Eu julgo que nós num mandato temos condições para avançar de forma substancial com uma solução”, perspetivou.

Além de António Borges, concorrem à presidência da Câmara Municipal da Amadora (distrito de Lisboa) a atual presidente, Carla Tavares (PS), Suzana Garcia (PSD/CDS-PP/Aliança/MPT/PDR), Deolinda Martin (BE), José Dias (Chega), Carlos Macedo (PAN), Gil Garcia (MAS), Nuno Ataíde (IL) e Henrique Tigo (PPM/RIR).

O atual executivo é formado por sete eleitos do PS, dois da coligação Amadora Mais (PSD/CDS-PP), um da CDU (PCP/PEV) e um do BE.

As eleições decorrem no dia 26.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR