Obrigado por ser nosso assinante. Pode ler este e todos os artigos do Observador em qualquer dispositivo.

Faltava cerca de 20 minutos para o fim do AC Milan quando Rebic mandou calar os adeptos da Juventus.vecchia signora ganhava então por 1-0, porque Morata marcou logo aos 4′, mas o avançado croata da equipa de Milão não gostou muito de algo que ouviu, colocou o dedo à frente dos lábios e mandou calar os adeptos bianconeri. Bonucci não gostou e “foi atrás” do avançado, mostrando-lhe com palavras, gestos e uma cara bem zangada que não gostou nada da atitude de Rebic…

O jogo esteve quase sempre controlado pela Juventus que, na primeira parte, depois de se ver a ganhar logo ao início, resolveu dar o jogo ao AC Milan, mesmo que tivesse sido quase Morata a bisar aos 20′, para boa defesa do guarda-redes francês Maignan. Na segunda parte, e antes de chegar aos tais 20 minutos finais depois de Rebic mandar calar milhares de pessoas, a Juventus parecia mesmo ter a situação mais ou menos feita para alcançar a primeira vitória na Serie A apenas na jornada 4.

Entretanto, saiu Morata, depois saiu Dybala, e depois disso houve desconforto e bastante na equipa da Juventus com essa queda de qualidade na frente. Se a Juventus precisasse de golos, eram estes dois que iam “safar” a equipa de Allegri. O problema foi exatamente esse. Nos últimos 15′ a Juve precisou de um golo, porque sofreu um outro, na sequência de um pontapé de canto. Quem marcou? Exato, Rebic. Mas desta vez, ao invés de mandar calar os adeptos, o croata fez um sinal que por exemplo Cristiano Ronaldo já usou algumas vezes, de pedir “calma” a quem o rodeia, como quem diz: “Tenham lá calma que eu estou aqui”. Curiosamente, foi o terceiro golo consecutivo em três jogos do croata Rebic ao serviço do AC Milan contra a Juventus.

Para a equipa de Turim, a equipa onde Cristiano Ronaldo começou a época, a equipa que na época passada não ganhou o campeonato ao fim de nove títulos consecutivos, a época doméstica não está a correr bem. São quatro jogos e apenas dois pontos. A título de exemplo, o AC Milan, com o resultado deste domingo, fica oito pontos à frente da Juventus.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Em suma, não foi um daqueles épicos Juventus-AC Milan. Não, nem perto disso. São equipas em crise, o AC Milan há várias épocas e a Juventus com um melhor plantel mas muito menos pontos. Sobre a equipa milanesa é importante dizer que vem de um desgastante jogo em Anfield, frente ao Liverpool, no regresso à Liga dos Campeões oito anos depois, e ainda não perdeu para a Serie A, perdendo agora pontos pela primeira vez.

Os rossoneri estão longe do que já foram, longe de Maldini, agora dirigente, longe de Kaká, de Shevchenko ou de Seedorf, mas a verdade é que na época passada já alcançou um segundo lugar, chegou à Liga dos Campeões e o arranque de campeonato é bom, mesmo com Zlatan Ibrahimovic, prestes a fazer 40 anos, mas ainda um belo jogador, de fora…