O candidato do PS à Câmara de Viana do Castelo apontou esta segunda-feira como aposta, caso vença as eleições do dia 26, a criação de um balcão digital em todas as freguesias para descentralizar o acesso aos serviços municipais.

Em declarações à agência Lusa, no final de uma reunião com o Instituto Politécnico de Viana do Castelo (IPVC), num dia de campanha dedicado à descentralização dos serviços pelo território e ao eixo “Liderar o desafio digital”, Luís Nobre propôs a transformação de Viana do Castelo em ‘Smart City’ e a instalação de um balcão digital “Município perto de si” em todas as freguesias.

“Vamos disponibilizar uma plataforma digital que permitirá que todas as freguesias estejam ligadas aos serviços municipais, permitindo aos munícipes obter serviços, licenças e liquidar taxas sem terem de se dirigir à sede do concelho. Trata-se de um espaço de aproximação, de transparência, para melhorar serviço público”, afirmou.

Atual vereador na Câmara de maioria socialista, Luís Nobre, de 50 anos, adiantou que quer promover a “digitalização como motor transversal de crescimento e a inovação em todos os setores, na escola, nos negócios, no dia-a-dia, mas também na gestão autárquica, potenciando a eficiência interna e aproximando o município das pessoas”.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

O “desafio digital”, que será “financiado por fundos comunitários, vai ainda “envolver a modernização digital das Juntas de Freguesia, dando continuidade à transição digital e à desmaterialização de serviços, já iniciada pelo município”.

“O processo digital vai ajudar a criar uma gestão mais sustentável, assumindo um melhor planeamento de manutenção, evitando a degradação do imobiliário público, porque atualmente não há uma monitorização diária que só os meios digitais permitem”, sustentou.

A candidatura pretende “instalar no concelho incubadoras para a criatividade e arte digital, com ligação ao Ensino Superior, através do IPVC”.

“São medidas que vão contribuir para a afirmação de Viana do Castelo como uma ‘Smart City'”, reforçou.

Fomentar “a capacitação e inclusão digital através da criação de um programa de digitalização para as escolas e impulsionar a transformação digital do tecido empresarial através do novo ‘Digital Innovation Hub'”, como redes colaborativas que incluem centros de competências digitais para facilitar a disseminação e adoção de tecnologias digitais pelas empresas, são outras das propostas de Luís Nobre.

“Vamos continuar a promover a transição digital do município, melhorando processos internos e apostando na desmaterialização em todas as áreas, agilizando a comunicação entre a sociedade e os serviços municipais. Esta tem sido uma área em que temos dado importantes passos, reconhecidos por todos e que nos colocam na vanguarda”, adiantou.

O candidato do PS adiantou que “os mecanismos digitais posicionam as cidades não só nos indicadores de gestão como nos ambientais”, acrescentando não ser possível concretizar “uma verdadeira transição climática” se não for cumprida a transição digital”, por as duas “acompanham-se e complementam-se”.

Além de Luís Nobre pelo PS, concorrem às eleições do dia 26 Eduardo Teixeira pela coligação PSD/CDS-PP, Cláudia Marinho pela CDU, Jorge Teixeira pelo Bloco de Esquerda, Rui Martins pela Aliança, Paula Veiga pelo Nós, Cidadãos!, Maurício Antunes da Silva pelo IL e Cristina Miranda pelo Chega.

Nas autárquicas de 2017, o PS conquistou 53,68% dos votos e garantiu seis mandatos. O PSD atingiu os 21,25% (dois mandatos) e a CDU (PCP/PEV) alcançou 8,11% (um eleito).