Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

[Em atualização]

Uma pessoa entrou num dos edifícios da Universidade de Perm, na cidade de Perm na Rússia, e disparou vários tiros tendo provocado pelo menos seis mortes e mais de duas dezenas de feridos. As autoridades russas identificam o atirador como um estudante da universidade, que está detido.

“A 20 de setembro, um estudante abriu fogo no território de um dos edifícios da Universidade Estatal de Perm. A identidade do suspeito foi estabelecida. Ele está detido, e as informações sobre ele estão a ser recolhidas”, disse aos repórteres Svetlana Petrenko, representante oficial da Comissão de Investigação, citada pela Tass.

Alguns estudantes e professores barricaram-se em salas, e outros saltaram das janelas do primeiro andar para tentar fugir do edifício. Serão para já cerca de 24 pessoas feridas, 19 delas resultado do tiroteio e outras pelas quedas das janelas na tentativa de escapar ao sucedido.

Já foi criado um centro de crise no local, com 25 equipas médicas e pelo menos nove ambulâncias foram destacadas para a universidade.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Outros vídeos divulgados mostram também o atirador a dirigir-se para o edifício.

O atirador foi ferido durante o processo de detenção, e está agora nos cuidados intensivos em estado grave. “Ele está vivo, mas nos cuidados intensivos. Portanto, agora não é possível conduzir procedimentos de investigação com ele”, revelara à Tass os serviços médicos locais.

A Comissão de Investigação, que investiga crimes graves, afirmou ter aberto um caso de homicídio criminal na sequência do ataque. O presidente russo Vladimir Putin foi informado sobre o tiroteio e já apresentou as suas condolências, segundo a Sputnik News.

“O presidente transmite profundas condolências àqueles que perderam os seus familiares e amigos em consequência desta tragédia”, declarou o porta-voz do Kremlin.

Mais tarde, Vladimir Putin, qualificou o tiroteio como uma “grande desgraça” para a Rússia, com os últimos dados a apontarem para seis mortos e 28 feridos. “É uma grande desgraça não só para as famílias que perderam uma criança, mas para todo o país”, afirmou, em declarações transmitidas pela televisão, apelando também às forças da ordem para esclarecerem os motivos do atirador.

Um estudante matou hoje seis pessoas e feriu pelo menos 28 num tiroteio na universidade estatal de Perm, uma cidade no centro da Rússia, antes de ser ferido por um polícia e detido.

“Nenhuma palavra pode silenciar a dor do luto, destas perdas, especialmente quando se trata de jovens que estavam apenas a começar a sua vida”, prosseguiu Putin.

Estes ataques armados aumentaram nos últimos anos na Rússia, levando a leis mais duras sobre o porte de armas.

À BBC, Ivan Pechishchev, um dos professores da universidade, afirma que viu vários estudantes a correr de um edifício, e pessoas a saltar das janelas do segundo andar enquanto se dirigia para a sua aula — tal como mostram os vídeos. “Saltaram de horror aos gritos”, disse. “Um dos estudantes disse-me que se tratava de um tiroteio. Ouvi barulho e todos começaram a espalhar-se em direções diferentes. Fui ter com os meus alunos ao segundo edifício e continuei a ouvir os tiros”. Pechishchev garantiu também que o serviço de segurança da universidade, que tem dez edifícios, bloqueou de imediato as passagens.

De acordo com a AFP, este é o segundo tiroteio em instituições de ensino na Rússia — o outro aconteceu em maio e provocou nove mortos numa escola em Kazan.