A candidata do BE à presidência da Câmara Municipal de Ponta Delgada, Vera Pires, defendeu esta terça-feira um plano integrado para o concelho que defina uma estratégia de construção, em alternativa à “obra casual” dos últimos anos.

Vera Pires, que se reuniu no âmbito da campanha eleitoral com os responsáveis pela Secção Regional dos Açores da Ordem dos Arquitetos, especificou que defende um “plano integrado, antes da obra, em alternativa ao que tem acontecido, desde há muitos anos”, ou seja, a “obra pontual, casual, sem pensar no contexto nem no futuro”.

A candidata exemplificou com “espaços emblemáticos” como a Calheta Pêro de Teive e a Praça Gonçalo Velho, a par das construções individuais, que “têm que ter em conta também a mobilidade, o estacionamento e a vida comunitária”, a par da “existência ou não de serviços, de comércio, por exemplo, que permitem que as pessoas se fixem num determinado lugar”.

“O que tem acontecido é que a cidade e o concelho têm sido construídos, reconstruídos e reabilitados um pouco ao Deus dará”, frisou a candidata.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Um plano urbanístico integrado seria importante para “dar consistência ao conjunto do território e permitir, efetivamente, melhores condições de vida, a começar pela habitação”.

O BE defende a identificação dos conjuntos urbanos já edificados porque “há imensos espaços, como as casas vazias, as abandonadas, degradadas e em ruína”, bem como os “buracos onde iam nascer os alicerces de prédios que nunca nasceram”.

Vera Pires preconiza que se deve aproveitar o espaço edificado e não “pensar em expandir territorialmente a cidade e as freguesias”, o que representa “desperdiçar dinheiro”.

São candidatos à Câmara de Ponta Delgada Pedro Nascimento Cabral (PSD), André Viveiros (PS), Vera Pires (BE), Luís Miguel Quental (IL), Luís Franco (Chega), Rui Teixeira (CDU) e Dinarte Pimentel (PAN).

O município é composto por 24 freguesias: Ajuda da Bretanha, Arrifes, Candelária, Capelas, Covoada, Fajã de Baixo, Fajã de Cima, Fenais da Luz, Feteiras, Ginetes, Livramento, Mosteiros, Pilar da Bretanha, Relva, Remédios, Santa Bárbara, Santa Clara, Santo António, São José, São Pedro, São Roque, São Sebastião, São Vicente Ferreira e Sete Cidades.

Nas eleições autárquicas de 2017, o PSD venceu a Câmara de Ponta Delgada com 51,28%, alcançando cinco mandatos, sendo que os outros quatro mandatos foram conquistados pelo PS (39,11%). O BE teve 2,06%, o PAN 1,80%, a CDU 1,05% e a coligação CDS-PP/PPM 0,95%.

Em 11 eleições autárquicas livres, o PSD presidiu quase sempre à Câmara de Ponta Delgada, com exceção do mandato 1989-1993.

As eleições autárquicas estão agendadas para domingo.