Obrigado por ser nosso assinante. Não se esqueça de subscrever a nossa Newsletter exclusiva dos bastidores.

Os dois sites em português que permitem emitir testes negativos falsos e certificados digitais inautênticos, assim como alugar certificados verdadeiros em troca de dinheiro, foram sinalizados como “phishing” e nem sempre estão disponibilizados pelo servidor.

Ambos exibem agora uma mensagem que alerta que as páginas em causa são “suspeitas de phishing”, uma técnica para obter informações pessoais, normalmente de natureza financeira de terceiros, como passwords e códigos de cartões de crédito.

“O proprietário do site foi notificado e está no processo de resolver o problema. Por enquanto, é recomendável que não continue para o link que foi sinalizado“, diz a mensagem produzida pela Cloudflare, uma empresa de segurança na internet.

O acesso aos sites continua disponível clicando num botão que permite “ignorar o aviso”. Mas, em algumas tentativas para entrar nas páginas, o Observador obteve a mensagem de erro “403 Forbidden”, uma resposta que indica que o servidor recebeu o pedido de acesso ao site, mas está a recusá-lo.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

O Ministério Público está a investigar os sites em questão, tendo a Procuradoria-Geral da República confirmado a instauração de um inquérito no Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP), o departamento que investiga a criminalidade mais complexa.

As características dos documentos falsos continuam a ser precisamente as mesmas que o Observador descreveu na semana passada. No campo onde se coloca o nome que o utilizador pretende que conste nos documentos, sugerem-se nomes como o de Graça Freitas, António Costa ou Marta Temido.

Sites para fazer certificados falsos investigados pelo MP. Criadores e utilizadores arriscam-se a penas de prisão que podem chegar a 8 anos