A cabeça-de-lista do Bloco de Esquerda (BE) à Câmara de Braga, Alexandra Vieira, defendeu esta quarta-feira a aplicação de “cláusulas antiprecariedade” em todos os trabalhos e cadernos de encargos do município.

Em declarações à Lusa, à margem de uma ação de campanha para as autárquicas de domingo, Alexandra Vieira propôs também a criação de “um fundo de apoio” aos setores produtivos locais que “comprovadamente” assegurem trabalho com direitos e salários dignos.

“Não podemos esquecer que o crescimento económico tão alardeado por Ricardo Rio [presidente da Câmara desde 2013 e recandidato ao cargo] se faz num concelho onde o salário médio ainda é muito baixo. Somos a terceira cidade do país em termos de serviços, mas ocupamos o 32.º lugar em termos de salário médio, entre 80 municípios com mais população”, referiu.

Para a cabeça-de-lista bloquista, “isto significa que o emprego que Ricardo Rio foi capaz de gerar não é emprego que permita às famílias viver com dignidade”.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Nesse sentido, e em nome da dignificação do trabalho, Alexandra Vieira propõe-se, desde logo, aplicar cláusulas antiprecariedade em todos os trabalhos e cadernos de encargos do município.

“Sempre que o município precisa de contratualizar com uma entidade externa, que no contrato estejam cláusulas que defendam trabalho com contrato e com direitos e salários dignos”, explicou.

Paralelamente, quer que, através do Plano de Recuperação e Resiliência, seja criado um fundo de apoio aos setores produtivos locais “que tenham, comprovadamente, trabalho estável com direitos e salários dignos”.

Alexandra Vieira criticou o modelo de desenvolvimento económico do atual executivo, considerando que “privilegia, através de várias isenções fiscais, a atração de grandes empresas multinacionais que praticam precariedade, salários baixos e trabalho sem direitos.

Para o Bloco, a aposta deve passar pelas micro e pequenas empresas, que gerem emprego com salários dignos e sem precariedade.

O BE quer ainda um concelho inclusivo, que dê voz e oportunidades a todos, desde logo a pessoas com mobilidade reduzida, que “não têm tido a atenção devida”, com passeios e passadeiras que lhes dificultam a vida.

Apoio social para as pessoas mais velhas e um município com uma distribuição paritária de funções entre homens e mulheres são outras das apostas da candidatura bloquista.

Alexandra Vieira diz ainda ser necessário “recuperar” todos os jardins de infância e escolas do 1.º ciclo que foram encerrados nas zonas mais distantes do centro da cidade e criar creches onde os jovens casais possam deixar os seus filhos.

Nas eleições de domingo, os cabeças de lista à Câmara de Braga são Ricardo Rio (coligação PSD/CDS-PP/PPM/Aliança), Hugo Pires (PS), Bárbara Barros (CDU), Alexandra Vieira (Bloco de Esquerda), Teresa Mota (Livre), Olga Baptista (Iniciativa Liberal), Rafael Pinto (PAN) e Eugénia Santos (Chega).