O cabeça de lista do Chega à Câmara de Castelo Branco, Rui Paulo Sousa, prometeu esta quarta-feira um combate à corrupção, ao compadrio e ao tráfico de influências no concelho.

“O que podemos oferecer aos albicastrenses, a principal oferta, é mesmo ao nível do combate à corrupção. Creio que Castelo Branco é neste momento um paradigma da corrupção, do compadrio do tráfico de influências, de tudo o que é negativo neste regime a que o PS nos habituou”, afirmou à agência Lusa Rui Paulo Sousa.

O candidato deu como exemplo aquilo que está a acontecer entre algumas candidaturas autárquicas que se atacam mutuamente.

“Penso que os albicastrenses estão cansados. Estão cansados de, ao fim de tantos anos, serem sempre os mesmos, as mesmas aldrabices, as mesmas famílias a beneficiar sempre de tudo, os mesmos esquemas. É uma vergonha. Estão cansados e querem mudar isso”, sustentou.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Nesse sentido, reforçou que a luta contra a corrupção “é uma das principais bandeiras, tanto a nível do país, como aqui, especialmente, em Castelo Branco”.

A par disso, Rui Paulo Sousa disse que tem também preocupações a nível da segurança.

“O que é um facto é que a violência, apesar de não ser muito elevada [em Castelo Branco], tem vindo a aumentar, muito dela provocada por um excesso de imigração que, penso eu, não estará totalmente controlada”, frisou.

O despovoamento e a economia, nomeadamente os baixos salários que são praticados no concelho de Castelo Branco, são outras das preocupações do candidato do Chega.

Rui Paulo Sousa teceu ainda críticas ao atual executivo camarário “pela falta de manutenção evidente em todos os espaços públicos”.

E adiantou que isso reflete-se na zona onde fez esta quarta-feira campanha e que foi inundada pelas chuvadas fortes na semana passada, afetando parte do comércio e algumas casas habitacionais.

“Obviamente que consideramos que a Câmara, em parte, é responsável por isto, porque não faz a devida manutenção dos sistemas de escoamento de água, apesar de, por vezes, a chuva ser mais intensa e causar um pouco mais de inundações do que o normal. Mas, se a manutenção fosse feita, não atingiria o que atingiu ao nível de inundação naquela zona”, frisou.

Por tudo isto, o candidato pediu um voto de confiança aos albicastrenses.

“O que peço a todos os albicastrenses é que no domingo votem Chega, deem-nos uma oportunidade, oportunidade de ser diferentes, de mudar este estado de coisas e de pensar pela primeira vez nos cidadãos albicastrenses em vez de pensar apenas no benefício de alguns que são escolhidos, alguns que vão para o poder e de alguns que vão para os cargos. Nós só queremos o bem comum dos portugueses de bem”, concluiu.

Na corrida à presidência da autarquia estão Leopoldo Rodrigues (PS), Luís Correia (MI — Sempre — Movimento Independente), João Belém (PSD/CDS/PPM), Rui Paulo Sousa (Chega), Rui Amaro Alves (MPT — Partido da Terra), Felicidade Alves (CDU) e Margarida Paredes (BE).