O tio de uma jovem ítalo-paquistanesa, Saman Abbas, de 18 anos, que desapareceu após recusar um casamento arranjado, foi detido depois de ter sido alvo de um mandado de prisão europeu em França por suspeita de homicídio, avançou a BBC.

O paquistanês é um dos cinco parentes da mulher investigados por suspeita de assassinato. A polícia diz que a família de Saman Abbas queria que esta viajasse para o Paquistão para um casamento arranjado, tendo recusado fazê-lo no ano passado.

A mulher ítalo-paquistanesa teria vivido sob a proteção de serviços sociais, mas voltou para a casa da família em Novellara, perto de Parma (Itália), no final de abril. Contudo, os procuradores afirmam que Saman Abbas só terá voltado para casa porque foi enganada.

As autoridades acreditam que a jovem foi morta, mas as autoridades ainda não encontraram o corpo, mesmo depois de várias buscas nas terras agrícolas em Novellara desde maio.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Investigadores da polícia italiana em Régio da Emília usaram as redes sociais para localizar o tio. A procuradora, Isabella Chiesi, disse que a detenção de Hasnain foi “fundamental” para o caso.

Hasnain “parece ser o mentor” do caso, disse a procuradora, sem dar mais detalhes, de acordo com a BBC.

Saman Abbas foi vista pela última vez no final de abril por vizinhos nas proximidades da casa da sua família, na cidade agrícola de Novellara. Poucos dias depois, um vídeo mostra os seus pais, que teriam pressionado Abbas a casar-se com um homem que ela nunca tinha conhecido, a correrem para apanharem um voo no aeroporto de Milão para o Paquistão, segundo a AP News.

Na quinta-feira, o governo italiano disse que pediu ao Paquistão para os extraditar. A ministra da Justiça, Marta Cartabia, assinou e encaminhou os pedidos de extradição.

Outro primo também foi detido em conexão com o caso no início deste ano.

A União Italiana de Comunidades Islâmicas (UCOII) expressou o seu choque em relação à situação e emitiu uma fatwa (decisão religiosa), a rejeitar os casamentos forçados.