Obrigado por ser nosso assinante. Beneficie de uma navegação sem publicidade intrusiva.

Um novo documentário dedicado à estrela da pop, que estreou no canal FX e na Hulu na sexta-feira, dia 24 de setembro, mostra mais detalhes do nível de controlo exercido pelo pai, Jamie Spears. De acordo com “The New York Times Presents: Controlling Britney Spears”, o pai de Britney controlou mensagens de texto, chamadas telefónicas e até o histórico de internet da artista de 39 anos.

Citando o documentário, o The Times acrescenta que Britney foi secretamente gravada no seu quarto, além das suas comunicações serem monitorizadas por uma equipa de segurança contratada pelo pai. Conversas de Britney com os filhos e namorado foram gravadas por um dispositivo de escuta colocado no quarto da artista.

Britney Spears pede fim da tutela: “Estou traumatizada. Não estou feliz. Quero a minha vida de volta”

Alex Vlasov é o antigo funcionário da Black Box Security — empresa de segurança no centro da controvérsia — que expõe o caso no já referido documentário. Segundo ele, a situação ajudava Jamie Spears a controlar a filha. “O próprio telefone e as próprias conversas privadas eram usadas com frequência para controlá-la.”

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Advogados do pai esclarecem que as ações foram legais e feitas “com o conhecimento e consentimento de Britney, do seu advogado nomeado pelo tribunal e/ou do tribunal”. Já um advogado de Edan Yemini, fundador da Black Box, afirmou que a empresa sempre operou “dentro dos limites profissionais, éticos e legais”.

Pai de Britney Spears aceita deixar a tutela da filha

Quem discorda é Mathew Rosengart, o novo advogado de Britney Spears, para quem as gravações secretas foram feitas sem o conhecimento da cliente, além de serem uma “violação vergonhosa e chocante da sua privacidade e liberdades civis”. Rosengart assegura que estas ações vão ser “investigadas de forma completa e agressiva”.