Uma larga percentagem de suíços votou a favor do casamento e da adoção de crianças por casais do mesmo sexo no referendo nacional deste domingo. Uma maioria de quase dois terços respondeu favoravelmente, ou seja, 64,1% dos eleitores.

De acordo com a Reuters, a Suíça torna-se assim um dos últimos países da Europa Ocidental a legalizar o casamento gay. A medida que ganhou a maioria em todos os 26 cantões daquele país recebeu o apoio do parlamento e do Conselho Federal, com as sondagens anteriores ao referendo a mostrarem a mesma inclinação.

O The Guardian acrescenta que o país autorizou parcerias civis entre pessoas do mesmo sexo em 2007. Agora, quem apoia a medida argumenta que esta coloca em pé de igual parceiros do mesmo sexo e casais heterossexuais, ao ser-lhes permitido adotar crianças em conjunto — além disso, os casais de mulheres passarão a ter acesso à doação regulamentada de esperma e ficará mais fácil para os cônjuges estrangeiros de cidadãos suíços pedirem a cidadania. Por outro lado, quem se opõe defende que a medida pode prejudicar as famílias que têm por base a união entre um homem e uma mulher.

Segundo a ministra da Justiça suíça, Karin Keller-Sutter, as novas regras provavelmente entrarão em vigor a 1 de julho do próximo ano. O jornal britânico lembra ainda que a Suíça, com uma população de 8,5 milhões, é tradicionalmente conservadora — o direito ao voto, por exemplo, apenas foi estendido a todas as mulheres em 1990.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR